Justiça mantém processo contra Viana

O juiz Geraldo Prado, da 37.ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, rejeitou nesta quarta-feira o pedido de declaração de nulidade da denúncia feita pelo Ministério Público contra o ex-presidente Eduardo Viana e seis diretores da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj). O requerimento havia sido feito pela defesa do ex-vice-presidente da entidade Francisco Aguiar, que acusou a promotora Márcia Velasco de não ser a verdadeira autora da denúncia, mas sim o promotor Alexandre Themístocles, inimigo pessoal do dirigente. O juiz ressaltou que é necessário separar os fatos que dizem respeito ao incidente de nulidade e todos os outros apurados.Com a decisão, ele determinou a retomada imediata do processo principal e marcou uma nova audiência para o dia 14, quando serão ouvidas as testemunhas arroladas pelo Ministério Público. Geraldo ressaltou ainda que os dirigentes afastados continuarão fora dos seus cargos até o fim da instrução criminal, ou seja, até a produção de todas as provas necessárias para o julgamento do processo penal. "Até lá, alerto aos senhores para que nem se aproximem da sede da federação, caso contrário, receberão ordem de prisão", advertiu ao se dirigir aos acusados, entre eles, o ex-presidente da Ferj, Eduardo Viana.Viana e mais cinco diretores da federação são acusados de envolvimento num esquema de evasão de rendas do Maracanã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.