Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Justiça mineira determina que Cruzeiro x Palmeiras seja com torcida única

'A medida se fez necessária por questão de segurança', afirmou o Ministério Público de Minas Gerais

Redação, Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2019 | 18h38

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) comunicou neste sábado que a Justiça estadual determinou que o duelo entre Cruzeiro e Palmeiras seja disputado com a presença de torcida única, a do clube mandante. O jogo é neste domingo, no Mineirão, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. O Cruzeiro pode ser rebaixado. Na noite deste sábado, o Palmeiras publicou uma nota oficial repudiando a decisão da Justiça (veja abaixo).

"Cruzeiro x Palmeiras com torcida única. A Justiça atendeu ao pedido do MPMG e determinou que CBF e FMF realizem a partida desse domingo, pelo Brasileirão 2019, apenas com torcedores do time mandante. A medida se fez necessária por questão de segurança", informou o MPMG em publicação em seu perfil no Twitter.

A decisão da Justiça Minas Gerais se deu após o Ministério Público entrar com Ação Civil Pública com pedido de liminar para que fosse determinada a realização do confronto com a presença apenas da torcida mandante. O jogo pode culminar no rebaixamento do Cruzeiro para a Série B do Brasileiro e há preocupação com a segurança dos torcedores.

A decisão também determina que o Cruzeiro seja multado em R$ 10 mil por ingresso vendido para a torcida do Palmeiras. Porém, o próprio clube defendia a adoção da torcida única no confronto. A Justiça determinou ainda que seja expedido ofício à Polícia Rodoviária Estadual para monitoramento de eventual deslocamento da torcida do Palmeiras para Belo Horizonte, além de outros à Polícia Militar e Polícia Civil de Minas Gerais para a adoção de medidas que se fizerem necessárias para o cumprimento da decisão.

A decisão contraria o que tinha sido determinado pelo STJD na sexta-feira. Afinal, o tribunal esportivo havia rejeitado pedido do Cruzeiro para que o confronto com o Palmeiras fosse disputado com torcida única. Naquela oportunidade, o presidente do STJD, Paulo César Salomão Filho, havia avisado que se o Cruzeiro considerasse que não há segurança para a realização do jogo com a presença dos torcedores dos dois clubes, deveria disputá-lo com os portões do Mineirão fechados. Mas precisaria arcar com efeitos dessa medida drástica, como uma eventual punição pelo tribunal esportivo.

O Cruzeiro e o Ministério Público de Minas Gerais consideram o jogo de alto risco por alguns cenários, sendo o principal deles o risco de rebaixamento do time local, que precisa vencer o Palmeiras e ainda contar com uma derrota do Ceará para o Botafogo, domingo, no Engenhão, para permanecer na Série A.

RISCO DE BRIGAS

Além disso, há histórico de inimizade entre torcidas do Cruzeiro e a Mancha Alviverde, principal organizada do Palmeiras. E Máfia Azul e Pavilhão Celeste, principais torcidas do Cruzeiro, já entraram em conflito diversas vezes. Recentemente, também, o clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG terminou em confusão nas arquibancadas de diferentes setores do Mineirão. Os clubes chegaram a perder mando de campo no STJD, mas apresentaram recursos para que voltem a ser julgados.

A torcida única em confrontos no futebol brasileiro é rara, tendo sido adotada em alguns clássicos estaduais, especialmente no futebol paulista. Na semana passada, porém, a partida entre Palmeiras e Flamengo, no Allianz Parque, pelo Brasileirão, teve a presença apenas de torcedores do time de São Paulo, com o aval da CBF.

VEJA A NOTA OFICIAL DO PALMEIRAS

"A Sociedade Esportiva Palmeiras vem, mais uma vez, manifestar sua discordância sobre o tema torcida única. Toda vez que o poder público lança mão dessa medida está contribuindo para a depreciação do produto futebol. O Palmeiras entende que torcida única é uma medida paliativa e que não deve jamais ser aplicada de maneira casuística, visando vantagem competitiva.

Nosso entendimento é de que apenas uma ação que englobe todas as entidades que atuam no mercado do futebol poderá trazer mudanças efetivas sobre esse assunto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.