Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Justiça nega ação do MP para devolver pontos para Lusa no Brasileirão

Decisão representa uma derrota para a Portuguesa na tentativa de se manter na Série A

Gonçalo Junior, Agência Estado

18 de fevereiro de 2014 | 21h05

SÃO PAULO - O juiz Miguel Ferrari Júnior, da 43.ª Vara Cível do Foro Central do Tribunal de Justiça de São Paulo, negou nesta terça-feira a devolução dos quatro pontos à Portuguesa e ao Flamengo no Campeonato Brasileiro de 2013 que havia sido solicitada pelo Ministério Público na semana passada por meio de uma ação civil pública contra a CBF e o STJD.

Segundo o despacho, o juiz entende que não há dano irreparável aos torcedores na punição imposta pelas escalações irregulares de Héverton (Portuguesa) e André Santos (Flamengo) na última rodada do Brasileirão do ano passado. A decisão representa uma derrota para a Portuguesa na tentativa de reverter o julgamento do STJD que definiu o rebaixamento do clube no torneio nacional.

Em entrevista ao Estado, o promotor de Justiça do Consumidor, Roberto Senise Lisboa, responsável pelo inquérito, afirmou que vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça. "Vamos recorrer amanhã (quarta) mesmo. Os torcedores sofreram um dano com a falta de publicidade das punições. Esse é o entendimento do Ministério Público", afirmou o promotor. O MP argumenta que o Estatuto do Torcedor foi desrespeitado porque as punições impostas aos clubes deveriam ter sido publicadas no site da CBF com antecedência.

Serão julgadas no final do processo as demais punições solicitadas pelo MP contra a CBF, como a devolução dos valores gastos pelos assinantes de pay-per-view e a restituição em dobro dos valores pagos pelos ingressos aos torcedores, considerando o total do público presente nos jogos de Portuguesa e Flamengo como mandantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.