Justiça nega investigação sobre Kaká

Jogador brasileiro pensa em processar a revista que divulgou suposta investigação

Redação,

07 de março de 2008 | 19h54

A Justiça de São Paulo informou nesta sexta-feira que em nenhum momento enviou ofício a Milão pedindo para Kaká esclarecer quais são suas relações com Estevam e Sônia Hernandes, líderes da Igreja Renascer. A informação de que o craque havia recebido um ofício foi publicada pela revista Carta Capital em sua edição de 15 de janeiro.Em seu despacho, o juiz da 1ª Vara Criminal de São Paulo escreveu: "Por parte do juízo, em momento algum se determinou ou se expediu ofício à Justiça italiana para intimação da mencionada testemunha."Os termos do despacho foram recebidos com entusiasmo pelo advogado do casal Hernandes, Luiz Flávio Borges D’Urso. "Tudo o que foi noticiado não tem qualquer fundamento, não existe. Por conta disso, vamos tomar todas as providências cabíveis contra quem de direito, já que foi causado enorme constrangimento para o casal Hernandes e obviamente para o próprio Kaká."Segundo o assessor de imprensa de Kaká, Diogo Kotscho, o craque estuda a possibilidade de processar a revista. Em nota publicada em seu site, Carta Capital sustenta a veracidade do que publicou e disse que tomará as medidas cabíveis contra quem a acusa de mentir e "dar guarida a documentos falsos".A revista diz ter uma confirmação do Ministério da Justiça de que o documento que publicou é verdadeiro. E diz que o ofício com as perguntas para Kaká foi reenviado em fevereiro em italiano [segundo a revista, o documento enviado em setembro estava em português]."

Tudo o que sabemos sobre:
KakáCarta CapitalAC Milan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.