Ivan Storti/Divulgação
Ivan Storti/Divulgação

Justiça obriga Damião a pagar até R$ 875 mi para trocar de clube

Valor para negociação com clubes do País é de R$ 200 mi

O Estado de S.Paulo

04 de janeiro de 2016 | 15h01

O Santos conseguiu uma vitória importante na disputa jurídica com o atacante Leandro Damião. O clube conseguiu reverter a decisão que liberava o atacante em dezembro. Nesta segunda-feira o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo concedeu medida cautelar que obriga o atleta ou a equipe que o contratar a indenizar o clube em R$ 200 milhões. Se a negocição for internacional, o valor da multa será de 200 milhões de euros (cerca de R$ 875 milhões). A decisão ainda não é definitiva. A informação foi publicada pela ESPN e confirmada pelo Estado.

“A decisão não é definitiva e cabe recurso. É uma vitória significativa, pois o Santos conseguiu reverter a decisão que o obrigava a pagar R$ 65 milhões ao Damião em caso de negociação”, explica o advogado Matheus Corrêa da Veiga, que representa o Santos no imbróglio judicial. “Mas estamos apenas no começo de uma longa disputa”, afirma.

Com a medida do TRT, Damião continua vinculado ao time paulista. Na última temporada, o atacante atuou pelo Cruzeiro, por empréstimo. A tendência é que o atacante se reapresente com o restante do elenco na próxima quarta-feira. Os advogados de Leandro Damião, contudo, devem recorrer ainda nesta semana para tentar livrá-lo do vínculo. A cautelar esfria a negociação de Damião com o Galatasaray, da Turquia, e também com o Internacional.  

Alegando ter ficado três meses sem receber os valores de direitos de imagem, o atacante tenta se desvincular do Santos desde o início de 2015. Uma guerra de liminares benefica ora o clube, ora o atacante. A cautelar desta segunda-feira se sobrepõe à última, de 10 de dezembro, que liberava o atacante para negociar com outro clube até o julgamento do mérito. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolDamiãoSantos FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.