Justiça põe Santa Cruz no Brasileiro

Os tricolores pernambucanos estão em festa. Hoje, o Santa Cruz Futebol Clube voltou à elite do futebol brasileiro. Não houve gols. Não existiu sequer uma partida de futebol. O retorno da equipe pernambucana ao primeiro escalão dos times nacionais se deu através de uma decisão judicial. A Prefeitura Municipal de Belo Jardim - município localizado no Agreste Pernambucano entrou, hoje, com uma ação civil pública reivindicando o retorno do Santa Cruz à Série A do futebol brasileiro e a juíza Marcinajara Maria Góes de Arruda, da 2ª Vara Cível de Belo Jardim, acatou, horas depois, o pedido e concedeu a liminar que beneficia o Tricolor. Apesar da falta de glamour, os torcedores não estão preocupados e prometem acompanhar de perto a campanha da equipe Tricolor no Brasileirão. Assim como nas outras três vezes em que o time tentou retornar à primeira divisão, o principal argumento utilizado pelos autores da ação judicial foi o de que, em 99, o Santa Cruz alcançou a Série A após ser o vice-campeão da Segunda Divisão. Nos anos seguintes, com os Brasileiros sendo organizados pelos clubes, e não mais pela CBF, muitos clubes - Bahia, São Caetano, Fluminense e Botafogo de Ribeirão Preto, por exemplo - passaram da Série B para a A pela "janela?. Alguns permanecem até hoje. "O critério de convite só tem valor se for respeitado o direito adquirido por aqueles que conseguiram o lugar na Primeira Divisão dentro do campo", é o que diz o último parágrafo do documento escrito pela magistrada Marcinajara. Caso a CBF não aceite a decisão judicial, a partir de amanhã, terá que pagar uma multa diária ao Tricolor, no valor de R$ 150 mil. "A liminar que concedemos só assegura um direito que os tricolores garantiram no campo", enfatizou a juíza. "Subimos no campo, em 1999, quando a competição era organizada pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Como a Confederação não organizou a competição nos dois anos seguintes, o tricolor não poderia ter sido rebaixado a Série B, em 2001. Não há o que se questionar" revelou a diretoria do clube. O presidente em exercício da CBF, José Sebastião Bastos, disse que até agora (hoje pela manhã), a CBF não recebeu nada da Justiça de Pernambuco. "Por isso não posso falar sobre esse caso". Já o presidente da federação de Futebol de Pernambuco, Carlos Alberto Oliveira, que esteve hoje na CBF, disse que irá apoiar a luta do Santa Cruz. "Não concordo como a ação foi conduzida - com a presença de uma prefeitura entrando em favor do time na Justiça Comum - mas estou de acordo com a briga do time para voltar à elite do futebol nacional", argumentou. O procurador da prefeitura de Belo Jardim, José Alberto Dantas, justificou a decisão da intervenção da prefeitura no caso. "A maioria de nossa população, cerca de 80%, é tricolor. Estávamos frustrados com a ausência da equipe da Série A e decidimos fazer algo pelo time. Quando se quer algo temos que ir em busca disso. Foi o que fizemos", explicou. O prefeito de Belo Jardim, João Mendonça, que é sobrinho do presidente licenciado do Santa Cruz, José Mendonça, um dos autores da ação, defende o retorno do Tricolor. "A Justiça de Belo Jardim simplesmente reparou uma injustiça sofrida pelo nosso Santa Cruz", afirmou Mendonça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.