Paulo Fernandes/Vasco.com.br
Paulo Fernandes/Vasco.com.br

Justiça recusa pedido de Eurico e urna 7 da eleição do Vasco é desconsiderada

A chapa do dirigente só venceu a eleição por causa dos votos desta urna

Estadão Conteúdo

09 Janeiro 2018 | 16h18

Eurico Miranda sofreu nova derrota na Justiça nesta terça-feira. A Justiça do Rio de Janeiro indeferiu a liminar que voltava a considerar os votos da polêmica urna 7 da eleição do Vasco e deu outra vitória à candidatura de Júlio Brant, que tenta tirar o atual presidente do comando do clube.

+ Vasco vence confronto direto e evita eliminação na Copa São Paulo

Nesta terça, o Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro (PJERJ), através do desembargador José Carlos Varanda dos Santos, decidiu indeferir a liminar concedida pela juíza Márcia Alvarenga que voltava a considerar os votos da urna 7 enquanto não fosse finalizada a perícia.

A ideia de Eurico e da diretoria vascaína era que o processo eleitoral fosse suspenso e o atual mandato fosse prorrogado até o julgamento final do caso. A decisão anunciada nesta terça, então, representou uma derrota para o dirigente, mas o caso seguirá na Justiça.

A urna 7 da eleição realizada no ano passado se tornou alvo de polêmica depois que 475 dos 691 sócios que nela votaram optaram por Eurico. Os 90% de preferência levantaram suspeitas e uma série de irregularidades foi apresentada pela oposição em relação aos eleitores, o que fez o caso ir à Justiça.

A chapa de Eurico só venceu a eleição por causa dos votos desta urna. Por isso, se eles forem desconsiderados, a chapa de Júlio Brant, da oposição, será declarada vencedora.

Mais conteúdo sobre:
futebol Vasco Eurico Miranda

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.