Steffen Schmidt/AP
Steffen Schmidt/AP

Justiça rejeita ação contra a Fifa por escolha do Catar como sede da Copa

Ativistas sindicais da Holanda e de Bangladesh questionam a escolha do país sem uma exigência de normas trabalhistas

Estadão Conteúdo

06 de janeiro de 2017 | 14h41

A Fifa conseguiu uma vitória na Justiça com a decisão de um tribunal de rejeitar uma ação de grupos sindicais contra a entidade em razão da escolha do Catar para sediar a Copa do Mundo de 2022.

O Tribunal Comercial de Zurique rejeitou a ação iniciada por ativistas sindicais da Holanda e de Bangladesh em nome de um trabalhador da construção civil de Bangladesh em um dos projetos da Copa do Mundo, informou, nesta sexta-feira, a Fifa.

Segundo a acusação, a Fifa agiu erradamente ao escolher o Catar para sediar uma edição da Copa do Mundo sem exigir reforma da legislação trabalhista, e deveria ser responsabilizada por abusos que são cometidos contra os operários que atuam as obras do torneio.

Os grupos trabalhistas e de direitos humanos fizeram campanha contra um sistema que emprega centenas de milhares de imigrantes no país. A Fifa declarou que "acolhe favoravelmente a decisão" da Justiça e "continuará a exortar as autoridades do Catar a garantirem condições de trabalho seguras aos trabalhadores da construção civil".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.