Juvenal depõe em caso dos ingressos para a FPF

Presidente do São Paulo mantém rompimento com a FPF por causa da suposta tentativa de suborno

Giuliander Carpes, O Estado de S. Paulo

17 de dezembro de 2008 | 10h13

O presidente do São Paulo, Juvenal Juvêncio, prestará depoimento nesta quarta-feira, às 17 horas, ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no caso sobre a denúncia de suborno que afastou o árbitro Wagner Tardelli da partida contra o Goiás, na última rodada do Campeonato Brasileiro.Veja também:São Paulo acerta com Washington e Renato SilvaTabela e calendário do Paulistão 2009Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO tribunal ouviu na sexta-feira seis outros personagens da conturbada rodada final do campeonato. O dirigente tricolor admitiu ter enviado, por meio de sua secretária, envelope para o vice-presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Rocha Carneiro Bastos. Seriam 11 ingressos para um dos shows da cantora Madonna, que ocorrem no Morumbi nesta semana. Os ingressos seriam endereçados, segundo Juvenal, à secretária da presidência da FPF, Lilian Cardoso, e seu marido, além do filho de Carneiro Bastos.A polêmica troca da arbitragem da partida decisiva do Brasileiro se deu porque Lilian telefonou para o presidente da FPF, Marco Polo Del Nero, contando que o tal envelope teria o árbitro Wagner Tardelli como destinatário final. Del Nero disse que achou muito estranha a situação e entrou em contato com a CBF. A entidade optou por fazer novo sorteio do juiz do jogo entre Goiás e São Paulo e afastar Tardelli.O presidente do STJD, Rubens Approbato Machado, prometeu fazer uma apuração exemplar do caso para não deixar dúvidas sobre o campeão brasileiro.

Tudo o que sabemos sobre:
Juvenal JuvêncioSão Paulo FC

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.