Juvenal diz que São Paulo precisava de 'novidade'

Após anunciar Ricardo Gomes como novo técnico do São Paulo, o presidente Juvenal Juvêncio tratou de explicar a escolha pelo ex-zagueiro da seleção brasileira. Para o dirigente máximo do clube, a diretoria queria uma "novidade" após a saída de Muricy Ramalho, motivada pela eliminação para o Cruzeiro na Copa Libertadores. Gomes estava no Monaco, da França, e ficou conhecido por fracassar em classificar a seleção olímpica para os Jogos de Atenas, em 2004.

GABRIEL NAVAJAS, Agencia Estado

20 de junho de 2009 | 11h57

"A gente queria uma novidade. É o momento de uma mudança mais profunda e ele se encaixa no perfil do São Paulo", disse Juvenal. "O Muricy era o técnico até domingo [no clássico contra o Corinthians, pelo Campeonato Brasileiro], mas às 19 horas [da sexta] fui chamado no Morumbi, nos reunimos [com Juvenal e Leco] e chegamos a um consenso. Chamamos o Muricy, ele também entendeu que era o momento de sair e a conversa durou dez minutos."

Para a demissão de Muricy, o presidente são-paulino acredita que o principal fator tenha sido o desgaste após quase três anos e meio no clube. "Sentimos que a coletividade não estava feliz. O Muricy nunca teve nenhum problema com a diretoria, mas entendemos que esse processo estava chegando à exaustão. No futebol temos a variável da emoção e por isso tínhamos de fazer a mudança", explicou Juvenal.

O dirigente ainda revelou que o acerto com o novo técnico foi feito ainda nesta sexta-feira, logo após a confirmação da saída de Muricy. "Às 20 horas entramos em contato com Ricardo Gomes por meio de um amigo em comum. Foi tudo por telefone", afirmou o presidente são-paulino.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão PauloJuvenal Juvêncio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.