Juvenal Juvêncio é reeleito em eleição sob judice

Pelo menos nas urnas, Juvenal Juvêncio não teve problemas para se reeleger para o seu terceiro mandato consecutivo como presidente do São Paulo. Nesta quarta-feira, pouco antes de a equipe entrar em campo para pegar o Goiás no Serra Dourada, ele recebeu 162 votos na eleição do clube, contra sete do adversário Edson Lapolla e cinco em branco. Juvenal fica à frente do São Paulo até 2014.

AE, Agência Estado

20 de abril de 2011 | 22h23

A eleição, porém, segue sob judice. Isso porque esta é a segunda reeleição consecutiva de Juvêncio. O estatuto do clube só permite uma reeleição, mas o dirigente alega que, depois da atualização deste estatuto - que mudou o tempo de mandato de dois para três anos - esta é só sua primeira. A oposição contesta na justiça.

Contestação também pelo fato de a eleição só envolver conselheiros, e não voto direto do associado do clube. Desta forma, 174 depositaram seus votos. Alguns se abstiveram em protesto, para não validar o que eles consideram uma eleição ilegal. Único oposicionista, Lapolla nunca acreditou na hipótese de vencer o pleito.

A presidência do Conselho Deliberativo do clube terá a presidência do desembargador José Carlos Ferreira Alves. A chapa dele teve 170 votos, contra quatro em branco. Já a chapa única para o Conselho Fiscal foi eleita com 166 votos, cinco em branco e três nulos.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão PauloJuvenal Juvêncio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.