Wilton Junior/AE - 14/6/2010
Wilton Junior/AE - 14/6/2010

Juvenal Juvêncio não acredita na vaga e já pensa em Dunga

Presidente do São Paulo está irritado com comportamento da equipe e não deseja a continuidade de Ricardo Gomes

GIULIANDER CARPES, Enviado Especial - O Estado de S. Paulo

29 de julho de 2010 | 20h10

A diretoria são-paulina não ficou nada satisfeita com a atuação do time na derrota (1 a 0) para o Internacional, na quarta-feira, no Beira-Rio. O presidente Juvenal Juvêncio ficou particularmente descrente que a equipe de Ricardo Gomes possa se recuperar depois de partida em que se limitou a ficar na defesa. Já são cinco jogos seguidos sem vitória e a atuação de no Sul foi amplamente criticada nos bastidores.

 

Veja também:

linkElenco são-paulino está 'mordido', diz Ricardo Oliveira

 

O dirigente do clube teria dito que a equipe "foi covarde" em reunião informal que a direção tricolor teve logo após a partida, no hotel em que a delegação estava hospedada em Porto Alegre. Mais uma vez, o nome de Dunga esteve na pauta. Se o presidente são-paulino já tivesse convencido o técnico a assumir imediatamente o comando do time, o Gomes teria sido demitido.

 

Juvenal, costurando apoio em Brasília para uma reviravolta do Morumbi na Copa de 2014, não teve tempo de encontrar Dunga na passagem pelo Rio Grande do Sul. Nos próximos dias, o técnico vai para a Itália, com a família, passar férias.

 

O ex-técnico da seleção não está disposto a entrar em fogueira logo contra o Inter, time pelo qual torce e ainda tirando o emprego de um amigo pessoal, Ricardo Gomes, companheiro de seleção brasileira no início da década de 90. Prefere dedicar-se à família no momento, principalmente porque seu pai está com a saúde debilitada.

 

Ricardo Gomes se defende. Pela primeira vez desde que está no São Paulo, há mais de um ano, o técnico se eximiu de alguma responsabilidade. Disse que não pretendia ver o time tão recuado no beira-rio.

 

"Não era essa (de recuar) a orientação. Tivemos um primeiro tempo medíocre", reclamou Ricardo Gomes, subindo o tom um pouco mais do que costuma. "Na segunda etapa, já estivemos um pouco mais próximos do São Paulo que queremos. Vamos melhorar. O torcedor pode ter certeza que vamos reverter este resultado no Morumbi. Será um jogo totalmente diferente."

 

Se não for, o técnico se despede do clube, mesmo que a direção não contrate um substituto imediatamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.