Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Juventude derrota Bahia por 1 a 0

Na quarta rodada do returno do Campeonato Brasileiro, o Juventude quebrou o jejum e venceu o Bahia, por 1 a 0, nesta quarta-feira à noite, no Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul. A partida, que serviu para desafogar o time caxiense na luta contra o rebaixamento, teve ainda como atração a arbitragem feminina, inédita na cidade. Por conta disso, praticamente metade do público foi de mulheres, já que a direção do time caxiense liberou os ingressos delas. Nos primeiros minutos o Bahia foi superior. Começou com a marcação adiantada e dificultando as jogadas de articulação do Juventude. Aos 17 minutos, Luiz Alberto criou uma chance perigosa. Ele recebeu na área e no momento do chute recebeu a marcação de Raoni. A bola bateu no jogador do Juventude e raspou o travessão. Esse lance parece ter acordado o Juventude, que foi para a frente. Aos 19 minutos, Taílson livre, cabeceou para fora. Quatro minutos depois Taílson cruzou e Gelfer chegou antes da bola e perdeu ótima chance. O gol, que estava amadurecendo, surgiu aos 23 minutos. Rafael, numa cobrança de falta próximo à area, acertou chute rasteiro no canto direito de Emerson: 1 a 0 para o Juventude. O Bahia levou perigo à meta do Juventude aos 27 minutos, também em cobrança de falta. Lino mandou a bola no canto esquerdo e Maurício fez grande defesa. Até o final da primeira etapa, o Juventude controlou bem as ações e manteve a vantagem sem dificuldades. Na segunda etapa o jogo caiu bastante em qualidade. O Bahia não teve forças para avançar e o Juventude também não repetiu as apresentações anteriores. O técnico Raul Plassmann ainda fez uma substituição equivocada, ao retirar Taílson, colocando Leonardo Manzi. Com isso, o Juventude perdeu uma jogada de velocidade e ficou com dois centroavantes no meio, pouco municiados. O Bahia, que não ataca muito, teve ainda o lateral Lino expulso aos 26 minutos, após uma falta violenta em Rafael. Com um jogador a menos, ameaçou menos ainda a meta do Juventude. No final, a equipe caxiense comemorou uma vitória tranquila e as mulheres também ficaram satisfeitas com a atuação do trio de arbitragem paulista, que também não teve dificuldades para dirigir o jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.