Juventude, Vila Nova e Criciúma buscam a ponta da Série B

Gaúchos, mineiros e catarinenses pretendem 'roubar' em caráter provisório a liderança do Corinthians

Agência Estado,

29 de maio de 2008 | 20h53

Na briga pelas primeiras posições do Campeonato Brasileiro da Série B, Juventude, Criciúma e Vila Nova entram em campo nesta sexta-feira até mesmo com a chance de roubar a liderança, em caráter provisório, do Corinthians, único com 100% de aproveitamento. Mas, para atingir este objetivo, estes times precisam vencer seus jogos, válidos pela quarta rodada, por uma diferença mínima de três gols.O Vila Nova, com seis pontos, em quinto lugar, vai pegar o São Caetano, que volta finalmente a atuar no Estádio Anacleto Campanella, fechado há seis meses para reformas. O time paulista, com quatro pontos, está em 11.º lugar.Em Maceió (AL), o CRB recebe o Criciúma e tenta sua primeira vitória para, quem sabe, sair da zona de rebaixamento. Na última rodada, o time alagoano perdeu por 2 a 1 para o Vila Nova, ficando com um ponto, em 18.º. O time catarinense tem seis, em sexto lugar, e viajou animado depois de vencer o São Caetano por 2 a 1.O Juventude, em Caxias do Sul (RS), também sonha com a liderança diante do Marília. Com seis pontos, em sétimo, o time gaúcho venceu na rodada passada o Bragantino por 1 a 0. O Marília vive uma situação curiosa: não perdeu e nem venceu em três jogos. Conseguiu três empates, o último sem gols com o Paraná, e trocou de técnico. Saiu Ruy Scarpino para a volta de Jorge Raulli, auxiliar-técnico já chamado em outras ocasiões.A rodada começou na terça sem que os times visitantes alcançassem a vitória. O Ceará derrubou o Brasiliense por 3 a 0 na estréia do técnico Alfinete, o Paraná empatou em 2 a 2 com o Bragantino, em Curitiba (PR), e segue sem vencer na competição, e o Avaí não saiu do 1 a 1 com o Santo André em Florianópolis (SC).A quarta rodada será encerrada no sábado com mais quatro jogos e uma novidade. A pedido da TV Globo, os jogos da tarde, inclusive o do Corinthians, vão começar 10 minutos mais tarde: a partir das 16h10.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.