Ciro Fusco/EFE
Ciro Fusco/EFE

Juventus bate Napoli fora e se isola na ponta do Campeonato Italiano

Equipe de Turim é ajudada pela Lazio, responsável pelo tropeço da Roma no clássico da capital italiana; vantagem vai para três pontos

Estadão Conteúdo

11 de janeiro de 2015 | 20h13

No último jogo disputado neste domingo pelo Campeonato Italiano, a Juventus venceu o Napoli por 3 a 1, em clássico realizado em Nápoles, e se garantiu na liderança isolada da tabela da competição, com 43 pontos. O time abriu três de vantagem sobre a vice-líder Roma, que horas mais cedo empatou por 2 a 2 com a Lazio, em outro clássico do dia.

Com o resultado amargado em casa, o Napoli estacionou nos 30 pontos, na quarta posição, e ficou atrás da Lazio, que foi aos 31 e ocupa o terceiro lugar.

O jogo foi marcado por um belo gol de Pogba, em um voleio cruzado, e também pela arbitragem polêmica, pois o segundo gol da Juventus, marcado por Cáceres, aconteceu quando Chiellini estava em posição duvidosa no mesmo lance. Para completar, um gol do Napoli, marcado contra pelo jogador uruguaio, foi anulado após o juiz alegar que Buffon sofreu falta.

O primeiro gol do jogo saiu aos 29 minutos, quando Pogba pegou uma sobra pelo lado esquerdo do ataque e soltou um voleio cruzado de primeira e acertou o canto esquerdo do goleiro brasileiro Rafael.

O Napoli, porém, conseguiu chegar ao empate aos 19 minutos da etapa final. Após escanteio batido pela esquerda, Britos pegou de primeira em bobeada da zaga da equipe de Turim na marcação e acertou o canto direito baixo de Buffon: 1 a 1.

Já aos 24, entretanto, a Juventus ficou na frente do placar de novo. Pirlo bateu falta da direita e encontrou Cáceres, que invadiu nas costas da zaga e deu belo chute cruzado. Chiellini, que participava da jogada, parecia adiantado no momento da batida de Pirlo e isso gerou reclamação do time do Napoli.

E aos 28 minutos ocorreu o outro lance polêmico da partida. Buffon soltou uma bola cruzada em cima de Cáceres, que marcou contra. O juiz, porém, invalidou o gol ao alegar que o goleiro sofreu falta do zagueiro Koulibaly. A decisão voltou a revoltar a equipe napolitana.

Mesmo sem precisar ampliar para garantir os três pontos, a Juventus fez o terceiro gol nos acréscimos, aos 49 minutos, quando Vidal recebeu de Pirlo em rápido contra-ataque, se livrou da marcação e chutou forte de fora da área para decretar o 3 a 1.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.