Massimo Pinca/Reuters
Massimo Pinca/Reuters

Juventus bate Sampdoria, Dybala marca, mas deixa campo chorando com nova lesão

Com oito pontos, a 'Velha Senhora' segue distante dos líderes, mas ganha motivação para o duro duelo do meio de semana contra o Chelsea

Redação, Estadão Conteúdo

26 de setembro de 2021 | 10h11

Depois de um início muito ruim no Campeonato Italiano, com tropeços seguidos em quatro rodadas, a Juventus se reencontrou na competição e, neste domingo, somou sua segunda vitória seguida. Jogando em casa, passou sufoco nos minutos finais, mas confirmou o triunfo por 3 a 2 diante da Sampdoria. Dybala anotou seu 103° gol pela equipe, encostando em Michel Platini, com 104, mas deixou o campo chorando com lesão muscular logo aos 20 minutos.

Com oito pontos, a Juventus segue distante dos líderes, mas ganha motivação para o duro duelo do meio de semana contra o Chelsea, campeão europeu, pela segunda rodada da Liga dos Campeões. Na estreia, fez 3 a 0 no Malmo.

Morata, Chiesa e Dybala começaram muito bem o confronto no Juventus Stadium. Locatelli anotou seu primeiro gol pelo clube e também mostrou-se mais à vontade em campo. Logo aos 10 minutos, com bela troca de passes, Dybala bateu de fora da área e colocou a Juventus na frente do placar. Seu 103° gol em sete temporadas pela equipe. Está a um de igualar Michel Platini como 11° artilheiro da história do clube.

A festa, porém, durou pouco ao argentino. As contusões que o perseguem na carreira voltaram a aparecer. Com problema no posterior da coxa, ele saiu de campo chorando aos 20 minutos.

Antes do intervalo, Bonucci ampliou. O gol seria uma alívio, mas no minuto seguinte a Sampdoria diminuiu com Yoshida. Mais uma vez a defesa da Juventus não conseguiu passar um jogo do Italiano sem levar gols.

Na volta do descanso, Locatelli fez pela primeira vez, novamente dando tranquilidade. No fim, o gol de Candreva prometia emoção, mas a Juventus soube suportar a pressão e repetir os 3 a 2 anotados sobre o Spezia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.