Divulgação/ Juventus
Divulgação/ Juventus

Juventus busca a classificação e a volta do bom futebol contra o Lyon pela Liga dos Campeões

Equipe de Cristiano Ronaldo perdeu o primeiro jogo das oitavas de final por 1 a 0

AFP, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2020 | 07h29

Derrotada por 1 a 0 na França no jogo de ida das oitavas de final, a Juventus recebe o Lyon em Turim entre a cruz e a espada nesta sexta-feira, às 16h,  contando com Cristiano Ronaldo para avançar às quartas da Liga dos Campeões. Para evitar o pior, a 'Juve' busca no passado recente a inspiração para avançar à próxima fase do torneio continental. 

Nas duas últimas temporadas, a equipe piemontesa esteve em situações semelhantes Há dois anos, depois do empate por 2 a 2 em casa com o Tottenham, os italianos viram no encontro seguinte os ingleses abrirem o placar. Mas em cinco minutos, a dupla argentina Paulo Dybala-Gonzalo Higuaín salvou a 'Vecchia Signora'.

Já na última temporada o cenário era pior. Derrotados por 2 a 0 pelo Atlético de Madri, os 'bianconeri' tiveram diante de si um retorno difícil e confiaram a missão a Cristiano Ronaldo. O português cuidou de tudo e marcou os três gols necessários para levar os italianos às quartas. 

A princípio, o Lyon aparenta ser um adversário menos complicado que o Atlético ou o Tottenham, mas o problema é que a Juventus não apresentou nas últimas rodadas do Campeonato Italiano um futebol vistoso que tinha antes da interrupção da competição por conta da pandemia do coronavírus. 

Mas essa queda de rendimento não impediu que a equipe comandada por Maurizio Sarri conquistasse seu nono  'Scudetto' consecutivo e que Cristiano Ronaldo fizesse 31 gols, sendo vice-artilheiro do campeonato. 

No entanto, olhando mais de perto, as preocupações são maiores do que os aspectos tranquilizadores, pois nos últimos oito jogos da temporada, o clube 'bianconero' somou apenas 8 pontos. 

Tradicionalmente forte, sua defesa sofreu 43 gols nesta temporada, 19 deles nas últimas 10 rodadas do Italiano. No retorno após o confinamento, a Juventus se mostrou vulnerável e frágil. E a verdadeira preocupação de seus torcedores  é que a equipe não se destaca nas suas forças habituais: rejeição da derrota, força defensiva, capacidade de defender uma vantagem.

Lyon: sem ritmo mas sólido

O técnico do Lyon, Rudi Garcia, e seus jogadores conhecem bem a situação do adversário desta sexta. No encontro de ida, souberam lidar muito bem com a Juventus, que já estava passando por um momento ruim, e agora estão em uma situação  mais confortável, porque se marcarem um gol, os italianos terão que se esforçar muito mais. 

Mas os franceses se encontram com falta de ritmo, já que disputam apenas uma partida oficial desde o final do Campeonato Francês, entrado em campo apenas na semana passada, na decisão da Copa da Liga Francesa contra o PSG. Acabaram derrotadod nos pênaltis, mas mostraram solidez através do esquema tático 3-5-2, o mesmo utilizado no primeiro confronto com a Juve. 

Por outro lado, o time de Turim vem no embalo da conquista do Italiano, mas um pouco cansado após um final corrido da temporada, com partidas a cada três dias no calor italiano de julho. O reinício da temporada foi intensa e a equipe está cheia de jogadores lesionados (Dybala, Douglas Costa, Sami Khedira) ou exaustos (Rodrigo Bentancur, Miralem Pjanic, Blaise Matuidi e Leonardo Bonucci). 

Na melhor das hipóteses, o fraco desempenho neste período pode ter sido causado pelo desejo de ganhar a Liga dos Campeões. Na pior das hipóteses, a 'Juve' talvez esteja com as pernas pesadas. E para dar mais emoção para os corações italianos, com um estiramento na coxa esquerda, Dybala, considerado o melhor jogador da temporada europeia, é dúvida para este jogo decisivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.