Giampero Sposito/ Reuters
Giampero Sposito/ Reuters

Juventus derrota Lazio na prorrogação e fatura décima Copa da Itália

Gol decisivo de Matri acaba com jejum de 20 anos de Juve na Copa

Estadão Conteúdo

20 de maio de 2015 | 18h33

A Juventus se sagrou campeã nacional nesta quarta-feira pela segunda vez em apenas 18 dias. Depois de faturar o troféu do Campeonato Italiano no dia 2, o time de Turim conquistou o título da Copa da Itália ao derrotar a Lazio na prorrogação, na final disputada no Estádio Olímpico de Roma. A Juventus venceu por 2 a 1, após empate por 1 a 1 no tempo normal. 

Com a conquista, a Juventus se tornou a maior vencedora da competição, com dez troféus. A equipe de Turim não levava a competição há 20 anos - venceu em 1938, 1942, 1959, 1960, 1965, 1979, 1983, 1990 e 1995. A Roma é a segunda nesta lista, com nove títulos.

Trata-se do segundo troféu da Juventus na temporada. No dia 2, os jogadores de Massimiliano Allegri garantiram o tetra do Campeonato Italiano por antecipação. Com as duas conquistas em sequência, o time sonha agora em buscar a tríplice coroa. Para tanto, terá que superar o Barcelona na final da Liga dos Campeões, no dia 6 de junho, em Berlim.

A decisão desta quarta-feira começou movimentada, com dois gols em apenas sete minutos. A Lazio saiu na frente, em cobrança de falta na área. Stefan Radu subiu mais que a zaga da Juventus e cabeceou para as redes, logo aos três minutos de jogo.

A resposta da Juventus foi quase imediata. E num lance muito parecido com o gol da Lazio. Pirlo bateu falta da área, Evra escorou de cabeça e Chiellini, também de cabeça, mandou para as redes, aos 10.

A partida, que parecia promissora, acabou caindo de ritmo depois dos gols. As seguidas faltas, principalmente no meio-campo, deixaram o jogo lento, sem maiores chances de gol para os dois lados.

O segundo tempo não foi diferente. Felipe Anderson, maior esperança da Lazio, tinha desempenho discreto. Klose, isolado no ataque, quase não ameaçava o gol do adversário. Pela Juventus, Carlitos Tevez parecia que não tinha entrado em campo. O time de Turim sentia falta de Morata, suspenso - ele fora o herói do time no confronto com o Real Madrid, na semifinal da Liga dos Campeões.

Os técnicos, então, partiram para as mudanças. E Massimiliano Allegri acabou sendo mais feliz em suas opções. Trocou Fernando Llorente por Alessandro Matri, que viria a decidir o jogo. Antes do gol, deu um susto na torcida da Lazio ao mandar para as redes aos 41 minutos do segundo tempo. O árbitro assinalou o impedimento e anulou o lance.

Com o empate no tempo normal, a partida foi decidida na prorrogação. E a Lazio quase saiu na frente, na etapa inicial. Djordjevic acertou belo chute de fora da área e carimbou as duas traves.

A Lazio desperdiçou sua grande chance. A Juventus, não. Aos 6 minutos, Tevez fez jogada dentro da área, foi bloqueado pela defesa e, no rebote, Matri não hesitou. Bateu quase da marca do pênalti e marcou o gol do título. Na segunda etapa, a Juventus se manteve ligeiramente melhor, segurou-se na defesa e garantiu o troféu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.