Paul Hanna/ Reuters
Zagueiro Bonucci celebra empate com o Real Madrid e volta da Juventus à final da Liga dos Campeões após 11 anos Paul Hanna/ Reuters

JUVENTUS E BARCELONA FAZEM FINAL INÉDITA DA LIGA DOS CAMPEÕES

Campeão continental será decidido em Berlim, dia 6 de junho

O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2015 | 17h33

A classificação da Juventus para a decisão da Liga dos Campeões nesta quarta-feira garantiu mais uma inédita final do torneio continental, o mais badalado da Europa. Com o Barcelona classificado após eliminar o Bayern de Munique, espanhóis e italianos se enfrentarão agora no Estádio Olímpico de Berlim, dia 6 de junho, para a grande decisão.

A Juventus retorna à final da Liga dos Campeões após 12 anos, eliminando justamente o atual campeão do torneio, o Real Madrid, dentro do Santiago Bernabéu após o empate por 1 a 1 - como venceu no jogo em Turim, atuava pelo empate em Madri. A última oportunidade da Juve ocorreu contra o Milan, em 2003, e foi decidida somente nos pênaltis. Melhor para os rossoneros de Milão que levaram o título pela sexta vez. Também nos pênaltis foi decidido o último título do maior campeão italiano de todos os tempos, contra o Ajax, em 1996, após empate em 1 a 1.

Do outro lado do campo, em Berlim, estará o poderoso Barcelona, que busca consagrar um dos melhores times que já montou. Com um ataque goleador, com mais de 110 gols, Messi, Neymar e Suárez buscam o quinto caneco da Liga dos Campeões na história do clube, das oito finais contando com essa. A Juventus jogará pelo terceiro título da Liga. Os dois gigantes disputarão a final do principal torneio da Europa pela oitava vez.

Habitual nas fases finais da competição desde 2008, o Barcelona só não esteve na semifinal na última temporada, eliminado precocemente pelo finalista Atlético de Madrid, que depois perdeu a taça para o Real Madrid no confronto da capital espanhola. Antes disto, foram conquistados dois títulos (2009 e 2011) e quatro terceiros lugares (2008, 2010, 2012 e 2013).

O embate entre italianos e espanhóis na final do torneio continental será também uma representação de uma das melhores defesas do torneio contra um dos melhores ataques. Enquanto a linha defensiva da Juventus, apoiada em Chielini, Bonucci e Buffon, base da seleção italiana, tomou apenas sete gols em 12 jogos, os jogadores do Barcelona marcaram 29 vezes no torneio, dez apenas com o artilheiro da competição, Lionel Messi. Neymar aparece logo atrás, com 9.

MESSI X TEVEZ

Convocados por Tata Martino para a seleção argentina para a disputa da Copa América, os atacantes argentinos estarão em lados opostos em Berlim. Pelo menos para essa partida única da Liga dos Campeões. Depois disso, os argentinos juntam suas forças contra o Brasil, de Dunga, e contra todos no Chile. Carlitos Tevez retorna para a seleção após ficar fora da última Copa do Mundo. Messi deixa de lado todas as críticas para buscar o título inédito após o vice-campeonato no Brasil.

Destaque da geração dourada campeã olímpica em 2004 (com Tevez) e 2008 (com Messi), os jogadores seguiram seus caminhos. Enquanto o ex-jogador de Boca Juniors e Corinthians foi por muito tempo considerado o atacante do povo argentino, devido ao apelo com a torcida de seu país, Messi, criado na Espanha, tornava-se cada vez mais distante do país de origem e mais relacionado às coisas do Barcelona, assim como a cidade.

Na seleção, no entanto, os argentinos buscam o caminho dos títulos que já conseguiram nos seus respectivos clubes.Tevez foi campeão italiano nas últimas duas temporadas com a Juventus e ainda pode erguer mais duas taças, a da Copa da Itália, em partida contra a Lazio, e a da Liga dos Campeões diante do compatriota. Da mesma forma, Messi ganhou todos os títulos possíveis com o clube catalão e nesta temporada também pode festejar a tríplice coroa. O Barcelona está na iminência de faturar o Espanhol, tem a Copa do Rei da Espanha pela frente, em jogo em casa, e a final de Berlim da Liga dos Campeões.

ÚLTIMAS FINAIS DA LIGA

2014 - Real Madrid 4 x 1 Atlético de Madrid

2013 - Bayern de Munique 2 x 1 Borussia Dortmund

2012 - Chelsea 1 (4) x (3) 1 Bayern de Munique

2011 - Barcelona 3 x 1 Manchester United

2010 - Internazionale 2 x 0 Bayern de Munique 

2009 - Barcelona 2 x 0 Manchester United


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Após mordida e racismo, Luis Suárez encontra rivais na final

Uruguaio terá novamente pela frente os defensores Chiellini e Evra

O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2015 | 19h22

Depois da polêmica mordida ocorrida durante a partida entre Uruguai e Itália na Copa do Mundo de 2014, Luis Suárez e Giorgio Chiellini se reencontrarão na decisão da Liga dos Campeões entre Barcelona e Juventus, marcada para o próximo dia 6 de junho no Estádio Olímpico de Berlim.

O incidente ocorreu na última partida do grupo D do Mundial vencido pela Alemanha, provocando uma punição de nove partidas, além de quatro meses de suspensão para o atual atacante do Barcelona. Por esse motivo, Suárez não poderá estar na Copa América do Chile. Ele terá de cumprir a pena e por isso não reforçará o Uruguai no país vizinho. Além disso, o artilheiro uruguaio se reencontrará com Patrice Evra, com quem também tem um passado polêmico.

Quando ainda atuava no Liverpool, da Inglaterra, Suárez foi punido por proferir insultos racistas ao lateral-esquerdo francês, que jogava pelo Manchester United.

Em seu retorno aos gramados, Suárez não cumprimentou Evra antes de outra partida entre as duas equipes. Posteriormente, o uruguaio se desculpou pela atitude. "Não só decepcionei a ele (Evra), mas também ao clube (Liverpool) e tudo que ele representa. Cometi um erro e me arrependo disso", declarou na época o artilheiro do Barcelona, reconhecendo que deveria ter cumprimentado o companheiro de profissão.

O Barcelona chegou à decisão da 'Champions' após eliminar o Bayern de Munique. A Juventus superou nesta quarta-feira o Real Madrid, atual campeão do torneio, dentro do Santiago Bernabéu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.