Simone Arveda/EFE e Alberto Lingria/Reuters
Simone Arveda/EFE e Alberto Lingria/Reuters

Juventus e Milan decidem título em meio a polêmica e futebol em segundo plano

Críticas pelo fato da decisão da Supercopa ser na Arábia Saudita ofusca primeiro duelo entre Cristiano Ronaldo e Lucas Paquetá

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

16 Janeiro 2019 | 04h34

Juventus e Milan seria apenas mais uma decisão da Supercopa da Itália, que iria atrair somente o interesse de italianos e de quem gosta do futebol do país. Mas a escolha do local da partida transformou o clássico em motivo de protestos políticos e críticas que fazem o esporte ficar em segundo plano, apesar da possibilidade de Cristiano Ronaldo ou Lucas Paquetá conquistar o primeiro título por seus clubes. Veja como assistir Juventus x Milan.

O clássico italiano acontece no estádio King Abdullah Sports City, em Jeddah, às 15h30 (horário de Brasília), na Arábia Saudita. O país é um dos mais criticados do mundo por deixar de seguir muitas das recomendações dos direitos humanos, principalmente com as mulheres. 

O público feminino só foi autorizado a ir aos jogos de futebol em estádios da Arábia em janeiro do ano passado, mas possui setores específicos para assistir aos jogos e assim será na partida pela Supercopa, nesta quarta-feira. Enquanto homens possuem livre acesso e podem, por exemplo, comprar ingressos perto do campo, as mulheres só podem assistir à partida nos anéis superiores, setor mais distante do gramado. 

Para aumentar as críticas, em outubro o jornalista Jamal Khashoggi foi assassinado no consulado saudita em Istambul. O crime foi tratado como político e o governo saudita foi apontado como responsável. Agentes do serviço de inteligência dos EUA concluíram que o crime foi realizado por ordem do príncipe Mohammed bin Salman, atual líder do governo.

O sindicato dos jornalistas da RAI, principal emissora de TV e rádio da Itália e que vai transmitir a partida, chegou a divulgar uma nota dizendo que a realização da partida no país é algo “absurdo e inaceitável”.

O ministro do interior Matteo Salvini, nome forte do governo italiano e declarado torcedor do Milan, afirmou que a realização do clássico na Arábia é algo “nojento” e que, como protesto, não vai assistir ao jogo. 

Em meio às críticas, a partida tem uma importância futebolística também. A Supercopa é realizada entre o atual campeão italiano e o da Copa da Itália. A Juventus ganhou as duas competições e o Milan disputa por ter sido o vice da Copa. 

A decisão é em jogo único e será o primeiro título de Cristiano Ronaldo, com apenas 24 jogos pelo time de Turim, ou de Lucas Paquetá, o ex-flamenguista que fará apenas seu segundo jogo pela equipe de Milão. Ambos devem ser titulares.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.