Simone Arveda/EFE e Alberto Lingria/Reuters
Simone Arveda/EFE e Alberto Lingria/Reuters

Juventus e Milan decidem título em meio a polêmica e futebol em segundo plano

Críticas pelo fato da decisão da Supercopa ser na Arábia Saudita ofusca primeiro duelo entre Cristiano Ronaldo e Lucas Paquetá

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

16 de janeiro de 2019 | 04h34

Juventus e Milan seria apenas mais uma decisão da Supercopa da Itália, que iria atrair somente o interesse de italianos e de quem gosta do futebol do país. Mas a escolha do local da partida transformou o clássico em motivo de protestos políticos e críticas que fazem o esporte ficar em segundo plano, apesar da possibilidade de Cristiano Ronaldo ou Lucas Paquetá conquistar o primeiro título por seus clubes. Veja como assistir Juventus x Milan.

O clássico italiano acontece no estádio King Abdullah Sports City, em Jeddah, às 15h30 (horário de Brasília), na Arábia Saudita. O país é um dos mais criticados do mundo por deixar de seguir muitas das recomendações dos direitos humanos, principalmente com as mulheres. 

O público feminino só foi autorizado a ir aos jogos de futebol em estádios da Arábia em janeiro do ano passado, mas possui setores específicos para assistir aos jogos e assim será na partida pela Supercopa, nesta quarta-feira. Enquanto homens possuem livre acesso e podem, por exemplo, comprar ingressos perto do campo, as mulheres só podem assistir à partida nos anéis superiores, setor mais distante do gramado. 

Para aumentar as críticas, em outubro o jornalista Jamal Khashoggi foi assassinado no consulado saudita em Istambul. O crime foi tratado como político e o governo saudita foi apontado como responsável. Agentes do serviço de inteligência dos EUA concluíram que o crime foi realizado por ordem do príncipe Mohammed bin Salman, atual líder do governo.

O sindicato dos jornalistas da RAI, principal emissora de TV e rádio da Itália e que vai transmitir a partida, chegou a divulgar uma nota dizendo que a realização da partida no país é algo “absurdo e inaceitável”.

O ministro do interior Matteo Salvini, nome forte do governo italiano e declarado torcedor do Milan, afirmou que a realização do clássico na Arábia é algo “nojento” e que, como protesto, não vai assistir ao jogo. 

Em meio às críticas, a partida tem uma importância futebolística também. A Supercopa é realizada entre o atual campeão italiano e o da Copa da Itália. A Juventus ganhou as duas competições e o Milan disputa por ter sido o vice da Copa. 

A decisão é em jogo único e será o primeiro título de Cristiano Ronaldo, com apenas 24 jogos pelo time de Turim, ou de Lucas Paquetá, o ex-flamenguista que fará apenas seu segundo jogo pela equipe de Milão. Ambos devem ser titulares.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.