Juventus sonha em permanecer na A1

O Juventus pretende dificultar ao máximo o rebaixamento para o Campeonato Paulista da Série A2. Após entrar, sexta-feira, com uma medida cautelar de protesto no Tribunal de Justiça da Federação Paulista de Futebol (FPF), o time da Mooca aguarda a decisão da Justiça de quando será o julgamento. "O Juventus foi prejudicado pelo regulamento e nós vamos brigar pelo nosso direito de permanecer na Série A1. Qual o critério que existiu para que o Juventus ficasse com quatro mandos e outros times com cinco mandos? Vamos brigar pelo direito de igualdade", reclamou o presidente Armando Raucci. Ele também criticou a arbitragem que teria prejudicado seu clube. "No jogo contra o Corinthians (3 a 2) o juiz Robério Pires prejudicou o Juventus duplamente. Até 23 minutos do segundo tempo o Juventus ganhava por 2 a 0 e daí o juiz expulsou o zagueiro Itabuna, equivocadamente, e deu um pênalti que todos viram que não aconteceu para o Corinthians. Já contra a Ponte Preta já havíamos sido prejudicados pela arbitragem." Segundo o advogado Wilson Marqueti, que defenderá o clube no caso, o Juventus impetrou o recurso, protestando contra a perda de mando de jogo contra o São Paulo - jogo deveria acontecer na Rua Javari, mas teve de ser realizado no estádio Anacleto Campane lla -, a elaboração da tabela do Paulistão sem sorteio e a péssima atuação do árbitro Robério Pereira Pires na derrota para o Corinthians. "Isso é uma preservação dos direitos do Juventus. Estamos pedindo que a Federação se pronuncie sobre esses caso", disse Marqueti.O advogado afirmou que os dirigentes do time da Mooca estão dispostos a levar o caso até a terceira e última instância, que será realizada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro. "A Federação será intimidada a apresentar sua defesa." Com a derrota para o São Paulo (2 a 1), domingo, o Juventus terminou na lanterna do Grupo 1, com seis pontos. O penúltimo foi o Corinthians, que terminou com oito.

Agencia Estado,

15 de março de 2004 | 16h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.