Kahn admite que sofre ao ver jogos da Alemanha do banco

O goleiro alemão Oliver Kahn, que perdeu a condição de titular na seleção da Alemanha, falou nesta terça-feira de seu "sofrimento" durante os jogos do Mundial. "O mais difícil para mim, sem dúvida, é ficar no banco, e não no gol, jogando. Sinto emoções muito fortes, não consigo relaxar, e inclusive venho sofrendo", declarou.No entanto, o goleiro, que falou para a imprensa pela primeira vez desde o início da Copa, não parece resignado. "Estou pronto para jogar, porque estou treinando forte. Mas não quero que nada aconteça ao Jens (Lehmann)".O melhor jogador do Mundial de 2002, na opinião da Fifa, confessou haver descoberto um novo aspecto de sua personalidade. "Esta experiência tem sido muito diferente: tenho que desenvolver o espírito de equipe, de me entender bem com os demais e tomar cuidado com o meu comportamento, porque os jogadores mais jovens se espelham no que eu faço - fato que eu subestimei durante muito tempo", comentou Kahn, que ficou no banco durante as Copas de 1994 e 1998.A apenas dois dias de completar 37 anos, o goleiro do Bayern de Munique continua motivado: "Depois de uma derrota, sempre consegui me levantar e voltar a vencer". E ele garante que também ficará feliz se a Alemanha for campeã - mesmo que tenha de acompanhar a final do banco de reservas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.