Kaká admite dificuldade para vencer a África do Sul

As semifinais da Copa das Confederações reservaram algumas surpresas. Depois da eliminação da favorita Espanha pelos Estados Unidos, foi a vez do Brasil passar sufoco nesta quinta-feira, diante da África do Sul. A seleção brasileira esbarrou na defesa adversária bem armada e só conseguiu a vitória no fim do jogo, com um gol de falta de Daniel Alves. Para o meia Kaká, a dificuldade encontrada foi mérito de Joel Santana, técnico do time anfitrião.

AE, Agencia Estado

25 de junho de 2009 | 18h27

"[O Joel] armou o time muito difícil, jogando muito tático", analisou Kaká após o triunfo, que garantiu vaga na final da competição. No jogo, em que era esperado até uma vitória fácil do Brasil, o time do técnico Dunga pouco conseguiu criar no ataque. Sem conseguir furar a retranca da África do Sul, a partida parecia se encaminhar para a prorrogação. "A gente sofreu, mas a bola parada mais uma vez decidiu", afirmou o meia do Real Madrid.

Além da vaga garantida na final, Kaká acredita que também foi importante para o Brasil evitar o tempo extra, o que poderia deixar os jogadores brasileiros ainda mais cansados. "A gente já jogou na quinta-feira e se fosse pra prorrogação o desgaste seria muito maior", disse o meia, lembrando que a seleção entrou em campo um dia após a vitória dos Estados Unidos. Assim, o rival terá mais tempo de se preparar para a decisão.

Kaká ainda comentou o que disse para Daniel Alves no momento da cobrança decisiva. Negando que tenha pedido para cobrar a falta, o meia garantiu que foi apenas um conselho. "Só fui na direção dele e pedi para ele caprichar. Ele caprichou e fez um golaço. Parabéns pro Daniel e pra seleção."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.