AP
AP

Kaká agradece Milan e diz que agora quer vencer no Real

Brasileiro afirma que oferta espanhola foi irrecusável e que ele espera ter o mesmo sucesso que Zidane

08 de junho de 2009 | 21h16

Após a confirmação da transferência para o Real Madrid, o atacante Kaká disse que sempre levará o Milan no coração, mas que agora quer brilhar na Espanha. De acordo com o brasileiro, o time italiano não podia deixar de aceitar a oferta de 65 milhões de euros - R$ 177,5 milhões.

 

Veja também:

linkPERFIL - Timidez de Kaká esconde vencedor obstinado

lista A carreira de Kaká, novo contratado do Real Madrid

linkReal Madrid oficializa a contratação do brasileiro Kaká

especialMercado: as transferências dos times

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

 

"Não culpo o Milan pela venda, a crise econômica pesou. Conversamos e em comum acordo decidimos que seria melhor a negociação. O clube precisava fazer esse sacrifício, e eu sempre tive um excelente relacionamento com os dirigentes", completou.

 

Outro fator destacado por Kaká foi sua relação com os italianos. "Termina agora minha parte profissional com o Milan, mas minha ligação sentimental não terminará jamais. Esse acordo com o Real já estava feito há alguns dias, mas só foi divulgado agora devido ao término do processo."

 

Sobre o Real Madrid, Kaká descartou utilizar a camisa de Zidane e disse que espera ter sucesso. "Não sei que número vou utilizar ainda, mas quero marcar conquistas na equipe com o Zidane fez."

 

Kaká, que não tinha falado até o anuncio oficial, assinou contrato por seis temporadas e receberá cerca de R$ 24,5 milhões livre por ano. O jogador, que passou por exames médicos do Real em Recife, não confirmou quando será sua apresentação.

 

O meia defende a seleção brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo - nesta quarta-feira, o Brasil enfrenta o Paraguai.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.