Kaká culpa altitude e promete Brasil melhor contra o Equador

Meio-campista diz que teve dificuldades para tocar a bola por causa do campo molhado na Colômbia

Agência Estado

14 de outubro de 2007 | 22h43

O meia Kaká admitiu que o empate por 0 a 0 com a Colômbia não foi o melhor resultado possível para a seleção brasileira em seu jogo de estréia nas Eliminatórias, mas prometeu uma atuação melhor contra o Equador, no Maracanã. "Um jogador de seleção não fica satisfeito nunca com empate, mas não é o fim do mundo, vamos tentar melhorar", afirmou.Veja também: Brasil não empolga, mas pontua no 0 a 0 contra a Colômbia Seleção comemora ponto conquistado em 'resultado justo' Vote: como você avalia a estréia do Brasil nas Eliminatórias?Kaká admitiu que teve dificuldades, na altitude de Bogotá, para explorar seu jogo de toques rápidos e tabelas. "Não gosto de dar esse tipo de desculpa, mas a altitude atrapalha na hora de correr, de recuar para compor o meio-de-campo", contou o jogador Ronaldinho Gaúcho, na saída dos jogadores para o ônibus, fez coro com o companheiro sobre a possível evolução da equipe na quarta-feira, no segundo jogo. "Certamente no Maracanã vai ser melhor", disse o craque do Barcelona. Gilberto Silva também faz parte do time que promete um Brasil mais ligado no Rio. "É outra situação, vamos jogar em casa e teremos de tomar a iniciativa da partida. A gente sentiu muita dificuldade, mas o jogo terá outro perfil", concluiu o volante, reconhecendo a decepção pelo empate. "Não é bem o que a gente queria. Preferíamos começar com uma vitória, mas diante das circunstâncias, é um ponto precioso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.