JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Kaká diz que não se vê ameaçado com atuações de Michel Bastos

Para o meia são-paulino, é importante ter outros atletas em grande forma: 'ter essa disponibilidade é que faz um time ser campeão'

Diego Salgado, O Estado de S. Paulo

31 de outubro de 2014 | 20h30

Kaká não atuou na vitória do São Paulo por 3 a 0 sobre o Goiás na última segunda-feira, pela 31.ª rodada do Campeonato Brasileiro, e viu Michel Bastos dar as assistências para os três gols da equipe. Apesar do ótimo desempenho do companheiro - que também atua pelo lado esquerdo -, o meia não se considera ameaçado pelo jogador, que marcou quatro gols em 18 jogos e vem recebendo elogios de Muricy Ramalho.

"Quanto mais jogadores estiverem à disposição, melhor. É sempre importante para o time. Ter essa disponibilidade é que faz um time ser campeão", afirmou Kaká em evento de um dos seus patrocinadores.

Para ele, não assusta a possibilidade de começar uma partida no banco de reservas. "Eu não vejo nenhum problema em ter essa variedade de opções. Pelo contrário, acho saudável dentro de um time. Cada um busca seu espaço. Eu vou sempre buscar meu espaço para ser o titular."


A presença de Kaká em campo é sinônimo de ótimo aproveitamento do São Paulo. Com o craque, a equipe conquistou 70,6% dos pontos disputados - 11 vitórias e três empates em 17 partidas. Quando Kaká não veste a camisa 8, o número cai para 53,4% - cinco vitórias e um empate em dez jogos.

CHANCES

Kaká pode vestir a camisa do São Paulo em mais 12 jogos - sete pelo Campeonato Brasileiro e cinco pela Copa Sul-Americana (se o time chegar à final da competição). Na reta final da sua segunda passagem, Kaká afirma que não pensa tanto na possibilidade de conquistar dois títulos.

"Há um bom tempo eu penso pouco no resultado final. Ganhar ou perder está muito longe do nosso alcance. Faço o meu trabalho do dia a dia. A minha dedicação e a minha disponibilidade é para conquistar frutos", ressaltou.

Nos últimos seis jogos do Brasileirão, o São Paulo conquistou 13 pontos, cinco a mais que o líder Cruzeiro. Se o desempenho de ambas as equipes for mantido, os rivais chegarão à última rodada empatados. O time de Kaká enfrenta o Sport na Ilha do Retiro, enquanto a equipe mineira pega o Fluminense em casa. "Não fazemos conta. O que acontece é pegar a tabela e olhar os jogos. É até ruim fazer contas. No final, a gente faz", frisou.

O único troféu conquistado pelo jogador no São Paulo foi o Torneio Rio-SP de 2001, justamente na sua estreia no time profissional. Na ocasião,  o jovem de 18 anos marcou dois gols na decisão, contra o Botafogo,  no Morumbi. "Isso cria e gera uma ansiedade muito grande. Procuro me controlar e pensar muito no presente. Já tive muitas alegrias no Morumbi e espero ter outras nessas semanas que faltam."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.