Sergio Moraes/Reuters
Sergio Moraes/Reuters

Kaká diz que tem condições, mas não sabe se joga

Após passar por avaliação nesta segunda-feira, meia afirma que pode enfrentar o Peru na próxima quarta

Agencia Estado

30 de março de 2009 | 20h47

O meia Kaká tem tudo para estar em campo nesta quarta-feira, quando o Brasil enfrenta o Peru no Beira-Rio, em Porto Alegre. Resta saber se desde o início do jogo, válido pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. Nesta segunda-feira, o jogador do Milan garantiu que tem condições de jogo. A avaliação foi feita à tarde, em um coletivo realizado pelos atletas da seleção que não atuaram no empate por 1 a 1 contra o Equador, no domingo, em Quito.

Veja também:

linkTécnico Dunga faz mistério e não diz se vai mexer na seleção

linkDunga quer priorizar a recuperação física dos jogadores  

linkSem jogar bem, Brasil fica no 1 a 1 contra o Equador 

especialVisite o canal especial das Eliminatórias da Copa

tabela Eliminatórias da Copa - Classificação

lista Eliminatórias da Copa - Calendário / Resultados

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Depois desse coletivo vi que tenho condições de jogo, mas não sei quanto", disse Kaká, que atuou no coletivo contra os juniores do Grêmio. "Não conversei com o Dunga se vou sair jogando. Isso também é uma opção dele", desconversou o meia sobre sua escalação como titular. Mesmo assim, ressaltou que sua intenção é atuar desde o início diante dos peruanos. "Lógico que, como jogador da seleção, quero começar jogando."

No momento de comentar sobre sua contusão no pé esquerdo, Kaká demonstrou uma ponta de insatisfação pelo tratamento realizado na Itália. "Tive cinco semanas (no Milan) e não melhorei o que eu melhorei em uma semana aqui", afirmou o jogador, depois de agradecer aos profissionais da seleção brasileira. "Contra o Equador eu não tinha condições pela dor. Hoje (segunda-feira) estou melhor, e também pela condição física. Não senti nada (de dor)."

Para a partida desta quarta, Kaká disse que espera o Peru na retranca, o que não diminui a necessidade de vencer no Beira-Rio. "O Brasil tem sempre obrigação de ganhar em casa. E, dentro do possível, fazer um grande espetáculo", disse. O meia só perdeu a simpatia característica quando perguntado sobre os últimos jogos da seleção pelas Eliminatórias em território nacional, quando empatou sem gols com a Bolívia e a Colômbia.

"Você lembra um jogo contra a Bolívia, eu lembro um jogo contra Portugal. Esse é o exemplo que nós temos para seguir no Brasil", afirmou, se referindo à goleada por 6 a 2 em amistoso realizado no Gama, no Estádio Bezerrão, no fim de novembro. Esta foi a última partida da seleção no Brasil em 2008.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.