Kaká é o mais jovem com os pés na calçada da fama

Com 26 anos, jogador do Milan deixa a sua marca no Maracanã e afirma que ainda não atingiu o ápice

Pedro Fonseca, Reuters

14 de outubro de 2008 | 17h22

Aos 26 anos, o meia Kaká tornou-se o jogador mais jovem a ter seus pés eternizados na calçada da fama do Maracanã, nesta terça-feira, véspera do jogo com a Colômbia pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010. Veja também: Veja mais imagens de Kaká na Calçada da Fama do MaracanãRobinho é homenageado por drible contra Equador no MaracanãPato vive expectativa de jogar no Maracanã pela seleçãoJoão Havelange elogia atuação da seleção contra Venezuela Eliminatórias Sul-Americanas - Classificação Eliminatórias Sul-Americanas - Calendário/Resultados Dê seu palpite no Bolão Vip do LimãoO meia do Milan, eleito o melhor do mundo pela Fifa em 2007, deixou suas marcas próximas às dos ex-jogadores da seleção brasileira Júnior e Zico, e também perto das de Marta - duas vezes melhor do mundo e única mulher na galeria. "Estou vivendo uma fase muito boa da minha carreira, venho crescendo", afirmou o jogador, que foi cercado por um batalhão de jornalistas ao receber a homenagem, antes do último treinamento da seleção para a partida com a Colômbia. "Não acho que cheguei ainda no 'top', ainda tenho muito a melhorar, a aprender, mas ser colocado num memorial como esse no Maracanã, ao lado de grandes jogadores, é realmente um momento de muita felicidade para mim", acrescentou. De volta à seleção brasileira para os dois últimos jogos oficiais de 2008 após 11 meses de ausência por lesão, o jogador deu mostras de sua importância para a equipe ao se destacar na vitória de 4 a 0 sobre a Venezuela, no domingo, jogo em que abriu o marcador logo aos cinco minutos do primeiro tempo numa ótima arrancada. Em seu último jogo no Maracanã, o meia marcou duas vezes na goleada brasileira de 5 a 0 sobre o Equador, no ano passado, partida na qual o atacante Robinho aplicou um drible sobre um defensor adversário que lhe renderá também uma homenagem no estádio. Uma exposição de fotos foi montada para recriar o lance. No jogo contra a Colômbia, o Brasil poderá alcançar a importante marca de quatro partidas seguidas sem levar gols nas eliminatórias, feito especialmente importante para o setor que historicamente é o mais criticado da equipe. Titular nos 9 jogos do Brasil no primeiro turno, o goleiro Júlio César sofreu por enquanto quatro gols, e Kaká considerou o goleiro um dos maiores responsáveis pela boa fase da defesa. "A nossa defesa, sempre tão criticada, agora merece os parabéns", afirmou Kaká, numa rápida entrevista. "Nós temos também o Júlio César com certeza como um dos melhores goleiros do mundo. Ele está provando isso", acrescentou o meia do Milan, que tem o goleiro, titular da Inter de Milão, como grande rival no Campeonato Italiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.