Kaká fala como é ser campeão na Itália

A vitória do Milan por 1 a 0 sobre a Roma ontem à tarde em Milão, com um gol de Shevcheko, garantiu a conquista do título italiano com duas rodadas de antecedência e coroou uma temporada impressionante de Kaká. Em seu primeiro ano no duríssimo futebol italiano, ele encantou os torcedores e a imprensa e foi considerado o melhor jogador da competição, o homem que fez do Milan um time muito mais agressivo do que era na temporada anterior.O prêmio ao seu desempenho veio aos 42 minutos do segundo tempo, quando o técnico Carlo Ancelotti o substituiu pelo português Rui Costa. Agradecida, a torcida do Milan o aplaudiu de pé e ficou quase dois minutos cantando a música que compôs para homenagear o ídolo, emocionando não apenas Kaká, como também seus pais (Bosco e Simone) e seu irmão, Digão, que estavam no estádio.Com exclusividade para o JT, ele comparou o que sentiu ontem com o que sentiu ao ser campeão do mundo aos 20 anos em 2002. "São duas emoções muito diferentes. Ser campeão do mundo pela Seleção Brasileira é uma alegria única, você faz feliz todo o seu povo e não tem nada igual a isso. O título de hoje (ontem) representa uma imensa satisfação pessoal para mim. E fiquei muito feliz com o carinho do público. Os torcedores do Milan me receberam muito bem e mereciam este título."Kaká não vai esquecer nunca o jogo de ontem, em que mais uma vez teve boa atuação. Mas guarda com carinho outras duas partidas do seu primeiro Campeonato Italiano. "Os dois dérbis com a Inter foram muito especiais. Ganhamos os dois e fiz um gol em cada um."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.