Kaká faz a diferença em partida de números equilibrados

A vitória brasileira por 1 a 0 contra a Croácia, Nesa terça-feira, em Berlim, foi mais uma partida do dia muito equilibrada nas estatísticas. O que fez a diferença foi justamente o que o futebol brasileiro mais presa: a individualidade. O meia Kaká, eleito o melhor jogador do encontro, desequilibrou e fez o gol do Brasil. Com posse de bola idênticas, 50% para cada lado, as duas seleções também fizeram o mesmo número de faltas: 20. Porém, os croatas foram mais advertidos com cartões amarelos, três contra somente um para os brasileiros.Em finalizações o Brasil levou vantagem, com 13 chutes, mas só seis acertaram a meta do goleiro croata Pletikosa. A Croácia finalizou menos, nove vezes, e não foram muito precisos, foram somente três acertos ao gol de Dida, que fez duas defesas importantes no segundo tempo.Porém, em uma partida em que as duas seleções não acertando muito seus arremates, Kaká fez a grande diferença, acertando um belo gol de um chute de longe, mas colocado no canto direito de Pletikosa, aos 43 minutos do primeiro tempo.Veja abaixo as estatísticas do jogo:Finalizações: Brasil, 13; Croácia, 9 Finalizações certas: Brasil, 6; Croácia, 3 Faltas cometidas: Brasil, 20; Croácia, 20 Cartões amarelos: Brasil, 1; Croácia, 3 Cartões vermelhos: Brasil, 0; Croácia, 0 Escanteios: Brasil, 5; Croácia, 7 Impedimentos: Brasil, 3; Croácia, 4 Posse de bola: Brasil, 50%; Suíça, 50% Melhor jogador da partida: Kaká(Com fifaworldcup.com)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.