Kaká: ?Foi um ótimo ano para mim??

Kaká está encerrando um ano ?ótimo??, como ele próprio define, em sua carreira. Firmou-se como ídolo do Milan, é cada vez mais admirado na Itália e no restante da Europa, titular absoluto da seleção brasileira. O ano só não foi perfeito porque a Liga dos Campeões foi incrivelmente perdida para o Liverpool. Mas isso já está ficando no passado.Kaká agora quer é ajudar o Milan a alcançar a Juventus na liderança do Campeonato Italiano (hoje tem 31 contra contra 39) e sabe que vencer o clássico deste domingo contra a Inter (29), às 17h30 (horário de Brasília), no San Siro ? a Bandeirante anuncia transmissão ? é parte fundamental no projeto. Depois, vai se dedicar aos detalhes finais de seu casamento com a bela Caroline Celico, no dia 23. ?2005 foi um ótimo ano para mim??, reconhece o meia.Agência Estado - Qual a importância do clássico entre Milan e Inter. Dá para comparar com um São Paulo e Palmeiras?Kaká - Não dá para comparar com nenhum clássico do Brasil, porque estes têm repercussão grande, mas apenas no País. Milan e Inter é muito maior porque tem repercussão no mundo inteiro. Vem gente de vários lugares para assistir. É um jogo importante, histórico, de grande rivalidade.AE - Então, a semana do clássico é muito diferente das outras para vocês jogadores.Kaká - Antes do clássico tudo é normal porque tudo depende do resultado. A vitória, ou a derrota, muda muita coisa no clube e para os jogadores.AE - O Milan está 8 pontos atrás da Juventus. Uma distância grande.Kaká - Não tem nada perdido. No ano passado também estávamos 8 pontos atrás e em 15 dias encostamos. É que depois perdemos para eles um jogo decisivo e o título não veio. Dá para alcançá-los de novo.AE - Esta semana você fez 2 gols na vitória do Milan sobre o Schalke 04 pela Liga dos Campeões e a imprensa alemã encheu a sua bola. O que isso representa para você?Kaká - Para mim é um prazer saber que o reconhecimento ao meu trabalho está se expandido. Mas não fico convencido, me achando o máximo. Minha satisfação é porque reconhecimento é o que almejo como profissional. Não pela fama. Esse reconhecimento mostra que estou fazendo as coisas certas.AE - O São Paulo está no Japão para o Mundial. Você tem conversado com o pessoal?Kaká - Sim. Tenho vários amigos que estão lá no Japão. Falo mais com o Juca (assessor de imprensa). E como são-paulino, torço para que o título seja conquistado.AE - Como está sua expectativa em relação à Copa do Mundo?Kaká - Procuro separar as coisas. Agora é momento de pensar no Milan. No momento certo, vou pensar na seleção. Mas é claro que estou otimista sobre nossas possibilidades. Temos uma seleção forte e em condições de fazer um bom Mundial.AE - E os preparativos para o casamento (que será em São Paulo)?Kaká - Minha noiva (Caroline) me liga várias vezes, estamos acertando todos os detalhes. Semanas atrás, ela esteve em Milão e cuidamos da montagem da casa. Compramos móveis, cuidamos da decoração. A gente faz tudo junto.

Agencia Estado,

11 de dezembro de 2005 | 09h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.