Kaká foi vetado pelo Real em 2002, conta ex-agente do jogador

Wagner Ribeiro diz que espanhóis desistiram do jogador por considerar que ele 'sumiria' diante de Zidane e Figo

Efe,

29 de janeiro de 2008 | 11h25

O empresário brasileiro Wagner Ribeiro, atual representante do atacante Robinho e que trabalhava com o meia Kaká, comentou que o meia-atacante do Milan esteve muito perto de se transferir à Espanha em 2002, mas acabou rejeitado pelos dirigentes espanhóis. Veja também: Kaká é o vencedor do 'Oscar do Futebol Italiano' Segundo Wagner Ribeiro, o Real queria trazer o jogador quando ainda estava no São Paulo, e pagaria pouco em relação ao que ele vale hoje: apenas US$ 7 milhões. A contratação de Kaká era um pedido do então presidente Florentino Pérez, que queria contar com o jogador brasileiro após a celebração da equipe espanhola. "Kaká jogou 20 minutos pela seleção do mundo contra o Real Madrid e marcou um gol. Falamos com Florentino Pérez, que disse que queria trazê-lo", disse. "Dois meses depois falei com Jorge Valdano, então responsável pelas contratações, e disse a ele que gostaria de ter Kaká também, mas naquele momento tinha Zidane e Figo, e ele ficaria sem chances. À época, custaria US$ 7 milhões", concluiu.

Tudo o que sabemos sobre:
Real MadridKakáAC Milan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.