Kaká garante que joga, apesar das dores

A temporada de sucesso na Itália atrapalha Kaká na Seleção Brasileira. O jogador se apresentou hoje em Teresópolis com inflamação no tendão do pé esquerdo que subiu até a panturrilha. A tendinite também aparece na perna direita, efeitos da sobrecarga de jogos pelo Milan e Seleção. Há dois anos Kaká não tem férias. Tamanho desgaste pode tirar o jogador da partida contra a Argentina, quarta-feira, em Belo Horizonte, pelas Eliminatórias de 2006. Kaká, apesar das dores e da inflamação, garantiu hoje que vai para o jogo contra os argentinos. "Estou otimista", disse. A comissão técnica da Seleção ainda não tem certeza do aproveitamento do craque do Milan. Apenas Carlos Alberto Parreira parece tranqüilo. "Há o desgaste dos jogadores com o final de temporada na Europa, mas nenhum deles será problema para a partida". Moracy Sant?Anna, preparador físico do Brasil, não tem a mesma certeza de Parreira. Quer observar com mais cuidado o desempenho de Kaká nos treinos de amanhã e domingo, na Granja Comary, em Teresópolis. "Ele vai fazer um trabalho especial. Se responder bem será liberado para os treinos. E, claro, se treinar sem dores vai para o jogo." É a mesma opinião de Luís Rosan, fisiologista da Seleção. Rosan contou hoje que Kaká está sob tratamento com anti-inflamatórios desde a partida contra a França, dia 20. "Ele não fez nenhuma atividade física desde aquele jogo. E foi medicado contra a inflamação. Nunca, em todo este tempo que estou na Seleção (há seis anos), vi tanto jogador reclamar de dores como eles reclamaram antes do jogo contra a França. O desgaste da temporada foi muito grande". O caso de Kaká ilustra bem a situação dos jogadores que atuam na Europa. Defendendo o Milan, ele atuou em 45 partidas entre Campeonato Italiano, Copa da Itália e Copa dos Campeões da Europa. Quando chegou no clube italiano, Kaká vinha de um ano sem férias. Entre dezembro de 2002 e janeiro de 2003, quando teria férias do São Paulo, o jogador disputou o Torneio do Catar pela Seleção Sub-23. Em julho de 2003, ainda pela Sub-23, jogou a Copa Ouro. Em agosto de 2003 foi transferido para o Milan. Atuou de agosto do ano passado a maio de 2004, sem folgas, no time italiano e ainda serviu a Seleção Brasileira em jogos amistosos e compromissos das Eliminatórias. "O que estou passando agora é decorrente do final de temporada", disse Kaká. "Antes do amistoso contra a França, passei por exames no Milan e ficou constatada a tendinite nas duas pernas. Uma inflamou e a outra era mais leve. Nada de grave, desgaste mesmo. Estou otimista e acho que vou jogar contra a Argentina, mas só entro em campo se tiver 100% bem." No caso de Kaká não suportar os treinos e for vetado, a vaga seria de Alex. O meia do Cruzeiro sofreu um pancada violenta no tornozelo esquerdo no amistoso contra a Catalunha e ainda não se recuperou. "Estou com tornozelo de elefante. Até quarta-feira dá tempo para a recuperação. Também, se não der, não vai acontecer nada porque o Kaká está bem e vai jogar", comentou Alex. Julio Baptista, "A Besta de Sevilla", como dizem os espanhóis, aguarda apenas uma ordem de Parreira para entrar no time. Se Kaká e Alex ficarem de fora do combate, a vaga será sua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.