Kaká pronto para a estréia na seleção

Ídolo no São Paulo, Kaká, de 19anos, vai sentir pela primeira vez o "gostinho" de vestir acamisa amarela da seleção brasileira, mesmo que na categoriaSub-20, no Mundial da Argentina, neste mês. Levando em contaexemplos anteriores, o meia são-paulino acredita que, se for bem poderá abrir as portas para a equipe principal. Ele aindaencara o desafio com jeito de menino, maravilhado com asnovidades, diante de sua primeira temporada de treinos na GranjaComary, concentração do Brasil, em Teresópolis. "Você sente a responsabilidade quando chega aqui. Sevocê provar que tem condições, vai ficando", ressaltou Kaká.Para ele, o período na Sub-20 serve como preparação para aprofissional. "É um exemplo o que se passou com o Júlio Batistae o Fábio", citou, se referindo a jogadores que estiveram nacategoria de base e foram chamados pelo técnico Emerson Leãopara a Copa das Confederações. As péssimas atuações da seleção principal, recentemente,podem representar uma chance para a jovem revelação são-paulinaser chamado por Leão. "Pode ser que abra espaço. Mas nem gostode falar do momento da seleção", esquiva-se. Ao ser convocado pelo técnico Carlos César, Kakáconversou com os seus companheiros do São Paulo que já tinhampassado pela seleção, como o goleiro Rogério Ceni e o massagistaLuisão. "Eles me passaram as suas experiências". Por enquanto, antes da estréia no Mundial, a adaptaçãode Kaká tem sido total. Durante os treinos, percebe-se que eleestá sempre envolvido nas brinacadeiras dos colegas, apesar denão ter feito parte da base do time que foi campeãosul-americano. "Fui muito bem recebido", reconheceu. O fato deseis jogadores do São Paulo terem feito parte da preparação -Renatinho foi cortado depois - ajudou o meia. Logo que chegou,passou a fazer parte do time base do treinador, embora não tenhaa sua posição garantida. Acostumado a atuar no profissional, Kaká não acreditaque terá facilidade em seu retorno aos juniores, mas aexperiência vai ajudar o seu desempenho. "Estou habituado a umjogo mais viril, mas nos juniores a velocidade é maior",explicou. A sua intenção é ter boas atuações durante o Mundial eajudar o Brasil a conquistar um título que não ganha desde1993. Além disso, Kaká sabe que um bom desempenho em umacompetição internacional pode despertar a atenção de times doexterior para onde pretende se transferir no futuro. "Antes,pretendo retribuir ao São Paulo por tudo que fez em minhacarreira", disse o jogador, revelando uma postura rara entre osjovens jogadores. Embora tenha uma situação financeira estávelna família, que é de classe média, Kaká garante que tem deconquistar os seus bens sozinho. "Tenho que conseguir compraras minhas coisas", diz, de forma madura.

Agencia Estado,

09 de junho de 2001 | 18h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.