Víctor Lax/EFE
Víctor Lax/EFE

Kaká volta, marca no fim e salva Real Madrid de tropeço

Meia atua por apenas sete minutos em campo e mantém sua equipe na briga pelo título

AE, Agência Estado

24 de abril de 2010 | 18h00

O meia Kaká não atuava desde o último 10 de março, sofrendo com uma pubalgia. Mas o brasileiro precisou de apenas sete minutos em campo para garantir a vitória do Real Madrid neste sábado, que manteve o time na cola do líder Barcelona, restando apenas quatro rodadas para o fim do Campeonato Espanhol. Contra o Zaragoza, fora de casa, ele entrou no fim do segundo tempo e marcou o gol do triunfo por 2 a 1.

Veja também:

link  Misto do Barcelona derrota Xerez e assegura liderança

ESPANHOL - tabela Tabela - lista Notícias

A notícia do bom retorno de Kaká vem como um alívio para o técnico Dunga, depois da inceterteza da participação do camisa 10 da seleção na Copa do Mundo, que começa em junho.

O resultado deixou o Real com 86 pontos, um a menos que o Barça. Pela próxima rodada, o time madrilenho recebe o Osasuna, que aparece nas posições intermediárias e não tem mais pretensões no Espanhol. Já a equipe catalã vai a Castellón encarar o Villarreal, sexto colocado, e que segue bem na briga por uma vaga na Liga Europa.

Sem jogar desde a eliminação do Real na Liga dos Campeões, quando o time caiu para o Lyon, Kaká só entrou na partida deste sábado aos 30 minutos do segundo tempo. Antes, a equipe madrilenha havia empatado sem gols na primeira etapa, mas se impondo sobre o Zaragoza, ameaçado de rebaixamento. Raúl, que tinha entrado no lugar do lesionado Van der Vaart, foi o responsável por abrir o placar.

Depois de sair do banco de reservas ainda no começo do jogo, o veterano jogador fez 1 a 0 logo aos cinco minutos do segundo tempo. Raúl aproveitou o rebote do goleiro em um chute de Cristiano Ronaldo, principal destaque da partida. Mas Colunga surpreendeu os visitantes aos 16, quando fez boa jogada, driblou o goleiro Casillas e empatou o confronto.

Com um a mais desde os sete minutos da etapa final, depois que Contini foi expulso, o Real chegava com perigo, mas não conseguia o gol da vitória. Sérgio Ramos já tinha acertado a trave antes de Cristiano Ronaldo partir em direção à área em diagonal e fazer o passe para Kaká. O brasileiro dominou e bateu cruzado rasteiro, no canto do goleiro, mantendo o Real na briga pelo título.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.