Facundo Arrizabalaga/EPA/EFE
Facundo Arrizabalaga/EPA/EFE

Kane pode atingir marca que só Ronaldo obteve nas últimas 10 Copas

Atacante já igualou número de gols do compatriota Gary Lineker em 1986, quando foi artilheiro do Mundial do México

Gonçalo Junior, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

03 Julho 2018 | 19h50
Atualizado 03 Julho 2018 | 20h35

Artilheiro da Copa do Mundo, com seis gols, o atacante Harry Kane entrou definitivamente para a história do futebol inglês com a classificação da seleção diante da Colômbia nos pênaltis. Em sua primeira Copa do Mundo, ele se tornou o primeiro jogador a marcar em seis jogos consecutivos pela Inglaterra desde Tommy Lawton, em 1939. Além disso, tem os mesmos seis gols que Gary Lineker fez em 1986, no México, quando foi artilheiro da Copa. Por sinal, Kane está atrás apenas de Lineker na lista de maiores goleadores da seleção inglesa em Copas - Lineker marcou outros quatro gols na Copa da Itália, em 1990, e fez ao todo dez gols. 

+ Inglaterra elimina Colômbia nos pênaltis e vai enfrentar a Suécia nas quartas

+ Veja quem são os artilheiros da Copa do Mundo

+ Saiba quais são os jogos e horários das quartas de final

Se fizer mais um gol na Rússia, Kane se tornará o segundo jogador desde a Copa de 1978, na Argentina, a marcar mais de seis vezes em um Mundial. Nos últimos dez torneios, apenas Ronaldo na Copa de 2002, na Coreia do Sul e no Japão, fez mais do que seis gols, tendo balançado as redes oito vezes. Em 1974, na Alemanha Ocidental, o polonês Grzegorz Lato marcou sete gols.

O jogador de 24 anos se mostrou orgulhoso em relação aos recordes, mas afirmou que espera ainda mais. "Eu me sinto orgulhoso, como é natural. Queremos marcar gols e ajudar o time. Me sinto orgulhoso dos meus feitos, mas quero fazer melhor e mais. Ainda nos falta muito nesse torneio. Queremos que chegue o próximo jogo", afirmou autor do gol da Inglaterra no tempo normal (1 a 1) e que também converteu sua penalidade na decisão.

Com o gol de pênalti, ele atingiu mais uma marca importante. É o primeiro jogador a converter três pênaltis na mesma Copa do Mundo desde o búlgaro Hristo Stoichkov, em 1994. 

Durante as penalidades, Kane afirmou que não deixou de acreditar na vitória.

"Sentimos muitas emoções no jogo. Tivemos o controle, mas foi uma pena que levamos o gol no final. Não baixamos a guarda. Mostramos unidade. Falamos muito do passado, mas é nessas horas que podemos mostrar. Foi uma grande noite para Inglaterra", disse o jogador, eleito o melhor da partida.

 

Kane também elogiou a postura do time que soube se recuperar emocionalmente depois de sofrer o empate no final do tempo normal. "Muitas pessoas disseram que somos jovens e inexperientes, mas crescemos muito nesta noite. Meus companheiros foram fantásticos. A decisão por pênaltis envolve o lado mental, a Inglaterra não vinha se dando bem", afirmou o artilheiro da Copa do Mundo. "Por isso, foi muito importante esse momento."

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.