Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Kannemann volta a treinar no Grêmio, mas Geromel é ausência e Renato faz mistério

Equipe gaúcha enfrenta o Fluminense, domingo, em Porto Alegre, pela terceira rodada do Brasileirão

Redação, Estadão Conteúdo

03 de maio de 2019 | 20h12

A escalação do Grêmio que entrará em campo para enfrentar o Fluminense no domingo, às 19 horas, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro, é um mistério. O zagueiro Kannemann voltou e participou do treinamento nesta sexta-feira no CT Luiz Carvalho, mas Pedro Geromel, Leonardo e Diego Tardelli foram ausências e são dúvidas para a partida.

Como poupou boa parte dos titulares no empate com o Avaí na última rodada, o natural seria o técnico Renato Gaúcho voltar a escalar os jogadores preservados. No entanto, a equipe tem um confronto decisivo pela rodada final da primeira fase da Copa Libertadores contra a Universidad Católica, do Chile, na próxima quarta-feira, em casa, e, portanto, é possível que alguns atletas sejam novamente poupados.

Kannemann, Maicon, Alisson, Cortez, Jean Pyerre, Everton e André, por exemplo, não estiveram em campo no duelo com o Avaí, e podem serem preservados novamente. Os três primeiros, aliás, sequer viajaram a Florianópolis. O meia Matheus Henrique está suspenso na Libertadores e, dessa forma, deve ser titular contra o Goiás.

Se não utilizar a zaga titular, Renato terá de improvisar alguém no setor de novo, já que Paulo Miranda, reserva imediato, está machucado. Contra o Avaí, o volante Michel foi o escolhido e teve a infelicidade de marcar um gol contra. É possível que Rômulo, também volante, seja escalado desta vez.

O treinamento desta sexta não foi esclarecedor quanto à provável escalação. Renato Gaúcho dividiu o grupo em três times e comandou uma atividade técnica na metade do campo e que teve Cortez como curinga. O foco da atividade foi a movimentação e a rápida troca de passes, além da finalização.

Tudo o que sabemos sobre:
Grêmiofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.