José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Kardec diz torcer para Palmeiras permanecer na Série A em 2015

Atacante afirma ter deixado amigos no Alviverde, lembra trabalho de amigos e diz que acredita em permanência de ex-clube

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

04 de dezembro de 2014 | 16h05

Alan Kardec deixou o Palmeiras de maneira turbulenta, mas mais uma vez demonstrou que qualquer cicatriz que possa ter havido ficou no passado. Ao analisar a situação do antigo clube, mais uma vez ameaçado pelo rebaixamento, o atacante do São Paulo disse torcer pela permanência do agora rival.

O jogador acredita que o time alviverde tem boas chances de escapar - a briga é contra Bahia e Vitória - pelo fato de o time jogar em casa contra um desinteressado Atlético-PR e mostrou carinho ao analisar a situação delicada dos antigos companheiros.

"Creio que (escapa) sim, porque o Palmeiras jogará para sua torcida e eles são um 12º jogador e não abandonaram o time. Acredito que o pior não irá acontecer porque lá tem pessoas de muito caráter e não merecem o que está acontecendo, pessoas que trabalham. Torço para que permaneça porque é um grande time, tem uma nova arena, é um clássico a mais para jogarmos, e uma viagem a menos que precisamos fazer", afirmou.

Kardec defendeu o Palmeiras até abril, quando um imbróglio da diretoria na hora de comprar seus direitos abriu caminho para que o São Paulo o "roubasse". O atacante rapidamente caiu nas graças dos são-paulinos, mas não saiu chamuscado com os palmeirenses, que apontaram o presidente Paulo Nobre como responsável pela saída.

Ele ainda mantém contato com diversos jogadores do elenco, como Juninho, Felipe Menezes e Marcelo Oliveira. "As pessoas lá sabem quem é o Alan Kardec. A torcida tem um papel fundamental porque não deixou o time em momento algum. Existem pessoas que estão trabalhando com seriedade. Por isso torço para que não caiam."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.