Kardec festeja gol, mas diz ter carinho pelo Palmeiras

Xingado pela torcida palmeirense toda vez que tocava na bola, o atacante deixou sua marca no clássico deste domingo no Pacaembu

FERNANDO FARO, O Estado de S. Paulo

17 de agosto de 2014 | 20h17

Alan Kardec esperou 88 minutos para dar sua resposta às provocações dos torcedores palmeirenses e, com uma bela cabeçada, garantiu a vitória sobre o Palmeiras e deu uma dura punhalada nos antigos fãs. Tão logo viu a bola timidamente morrer nas redes do goleiro Fábio, correu de braços abertos e comemorou intensamente com os companheiros do São Paulo.

Não houve, no entanto, nenhuma provocação após a partida. Ao comentar a vitória por 2 a 1 e o gol que empurra o agora rival ainda mais para o buraco, ele mostrou serenidade ao falar sobre a relação com o Palmeiras.

"Hoje foi mais um clássico, muito especial pelo enorme carinho e respeito que tenho pelo Palmeiras, isso não há nada que possa apagar. A vida é feita de escolhas e a minha é entrar em campo, ajudar minha equipe e fazer o meu melhor", disse o atacante, que literalmente silenciou o Pacaembu ao definir o resultado.

Kardec custou quase R$ 14 milhões aos cofres do São Paulo e, até agora, tem correspondido. Em sete jogos pelo clube, marcou quatro gols e rapidamente caiu nas graças da torcida. Ele não quis falar com a imprensa para não apimentar o clássico.

"Algumas declarações poderiam sair distorcidas. Para deixar claro, respeito o Palmeiras, mas hoje estou no São Paulo e estou aprendendo a cada dia a me identificar com o clube e a torcida", ponderou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.