Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Kassab: Prefeitura está segura quanto a estádio do Corinthians

'Estamos muito otimistas e muito tranquilos', reforçou o prefeito, em posse de secretário

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

25 de abril de 2011 | 12h35

SÃO PAULO - Após as críticas do ministro dos Esportes, Orlando Silva, sobre a impossibilidade da realização da Copa das Confederações na capital paulista, o prefeito Gilberto Kassab, disse estar seguro sobre em receber a abertura da Copa 2014.

"Compreendemos a ansiedade e a expectativa do ministro, mas estamos muito otimistas e muito tranquilos", disse, durante a cerimônia de posse do secretário especial de Articulação para o Mundial, Gilmar Tadeu Alves.

Para o prefeito, não houve uma crítica por parte do governo federal. "O termo é preocupação", reforçou. Segundo Kassab, só será possível dizer se o estádio do Corinthians estará pronto em meados de 2013. "Vamos aguardar o início das obras do estádio do Corinthians para termos a certeza do calendário", afirmou.

Considerando a previsão de término das obras do estádio, entre o fim de 2013 e o início de 2014, o prefeito ressaltou no discurso de posse do novo secretário que a cidade está comprometida em trazer a abertura da Copa do Mundo, o centro de imprensa e o Congresso da Fifa.  Ele ressaltou que todas as ações direcionadas à Copa estão sendo tomadas.

Kassab disse, porém, que não destinará recursos públicos para o estádio. "Todos os custos são de responsabilidade do Corinthians."

O prefeito voltou a ressaltar que não há um plano B da cidade para a realização da Copa do Mundo a não ser o estádio em Itaquera. "Estou tranquilo em relação à construção do estádio do Corinthians. É a única alternativa da cidade de São Paulo para a Copa do Mundo."

O novo secretário admitiu que a construção do estádio é uma das maiores preocupações da Prefeitura de São Paulo. "O nosso esforço é que o estádio seja construído o mais rápido possível", disse.

Gilmar Tadeu é dirigente do PC do B em São Paulo e tomou posse cercado de colegas do partido. Além de lideranças do PC do B, esteve presente também à posse o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, que não falou com a imprensa.

Veja também:

som ESTADÃO ESPN - Itaquerão foi uma bravata do presidente Lula, diz Walter Feldman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.