Lucas Merçon / Fluminense
Lucas Merçon / Fluminense

Kelvin agradece oportunidade dada pelo Fluminense: 'Maior desafio da carreira'

Atacante ficou 11 meses parado por causa de lesão em 2017 e não teve bom desempenho no Vasco em 2018

Redação, Estadão Conteúdo

30 de abril de 2019 | 15h30

De olho na sequência da temporada com a disputa de três competições - Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Copa Sul-Americana -, o Fluminense acertou a contratação do atacante Kelvin, de 25 anos, que já defendeu o Vasco. Nesta terça-feira, o jogador foi apresentado no CT Pedro Antônio, no Rio, e agradeceu muito a oportunidade dada pelo clube tricolor, já que vem de um período de lesões e problemas físicos.

Em 2017, quando estava no Vasco, Kelvin sofreu uma grave lesão no joelho. Neste novo capítulo de sua carreira, tratou de tranquilizar a todos no Fluminense. "Tive uma lesão muito complicada em 2017 e fiquei 11 meses parado. Voltei em maio do ano passado. Mas estou 100%, joguei no Vasco. Não tive o rendimento esperado, mas estou com a cabeça boa. Tenho algumas coisas para fazer ainda, mas está indo tudo certo. Minha parte física está 100%", declarou.

Kelvin também mostrou sinceridade ao comentar sobre o seu atual momento, que ele reconheceu não ser bom. E agora ele crê que poderá, com a camisa tricolor, iniciar uma volta por cima nos gramados.

"É o maior desafio da minha carreira. Tive a lesão, mas antes fiz bons jogos em outros clubes. Fui bem no Porto, no Vasco... Mas o meu futebol deu uma caída. Eu sinto que preciso recuperar o meu futebol, posso dar mais. Não estou no Fluminense porque fiz um belo ano, mas porque confiaram em mim. E preciso corresponder em campo a essa confiança", disse o atacante.

Nesta sua apresentação oficial, o jogador tratou também de logo elogiar o técnico Fernando Diniz, destacando o fato de o treinador adotar uma forma de trabalhar com os seus times que foge da habitual. "Já acompanho o Fluminense desde o ano passado, já joguei contra. O Fernando Diniz tem um estilo diferente, é um treinador moderno, inova bastante e quem tem a ganhar é a gente, com coisas novas, sai da mesmice e o grupo todo comprando a ideia, quem tem a ganhar é o Fluminense", avaliou.

O atleta ainda descreveu as suas características. "Sou um jogador de beirada de campo, atacante que joga pelas beiradas, mas que também cai pelo meio. Sou um jogador rápido, habilidoso e que se a bola sobrar, espero fazer gols ou dar assistências. Vou procurar fazer o meu melhor no ataque para que saiam os gols", concluiu Kelvin, que já está treinando com o elenco tricolor. 

A equipe comandada por Diniz realizou na manhã desta terça o penúltimo treino para o jogo contra o Santos, rival de quinta-feira, às 19h15, na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Fora de casa, o time jogará para se reabilitar da derrota de 1 a 0 para o Goiás sofrida na estreia, no último domingo, no Maracanã.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseKelvin

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.