Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação
Cesar Greco/Ag. Palmeiras/Divulgação

Keno afirma que Palmeiras jogou pelo técnico Alberto Valentim

Atacante deu as três assistências para a vitória do Palmeiras sobre o Atlético-GO

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

16 de outubro de 2017 | 19h29

Destaque da vitória do Palmeiras sobre o Atlético-GO por 3 a 1, com assistências para todos os gols da equipe, o atacante Keno afirma que o time estava pressionado depois da saída do técnico Cuca. Foi o primeiro jogo sob o comando interino de Alberto Valentim.

+ Alberto Valentim despista sobre continuidade no Palmeiras em 2018

"A gente tem a maior confiança no Valentim. Na preleção, estávamos sentindo um peso em cima dele. Assumir o Palmeiras do jeito que está, contra um franco atirador... uma derrota ficaria ruim. Jogamos por ele", disse o atacante em entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira na Academia de Futebol.

Com a concorrência de Dudu, Willian e Erik para a partida, Keno confessa que não esperava atuar. Nas três partidas anteriores, ele nem sequer havia atuado. "Eu não esperava. A gente foi para o campo (no sábado), e o Valentim não tinha nem tempo para treinar. Quando chegou de manhã, a gente se reuniu, e ele falou meu nome. Eu não estava esperando, mas estava bem preparado", afirmou.

Keno é o quinto jogador com mais atuações no ano. Foram 44, atrás apenas de Fernando Prass (51), Róger Guedes (48), Willian (48) e Tchê Tchê (45). Foi reserva 26 vezes, mas fez 18 jogos como titular, incluindo o do último domingo. Ele está bem entre os artilheiros: Willian é o artilheiro do time na temporada, com 17 gols, Dudu, 11; Róger Guedes, oito; Keno, sete.

A entrevista de Keno teve tom descontraído. O jogador encara com bom humor as comparações com Ronaldinho que renderam o apelido de Kenaldinho nas redes sociais, desde a época em que atuava pelo Santa Cruz. "Admiro muito o Ronaldinho, mas não pareço muito, estava olhando a foto (risos)", brincou o jogador. "Queria eu ter o futebol dele! Desde o ano passado, quando eu estava no Santa Cruz, ficou essa história de Kenaldinho aí. Fico feliz com essa comparação", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.