Vitor Silva / Botafogo
Vitor Silva / Botafogo

Kevin revela revolta do Botafogo com VAR em derrota: 'Marca de forma diferente'

Time carioca foi derrotado pelo Bahia devido a pênalti marcado aos 53 do segundo tempo

Redação, Estadão Conteúdo

08 de novembro de 2020 | 21h35

Havia um sentimento de revolta por parte dos jogadores do Botafogo após a derrota para o Bahia por 1 a 0, neste domingo, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela 20.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ninguém aceitou a marcação do pênalti aos 49 minutos do segundo tempo, quando a bola tocou no braço do zagueiro Marcelo Benevenuto de forma involuntária.

Para o lateral-direito Kevin, o VAR foi usado de duas maneiras diferentes. "Nós tivemos um pênalti lá, em cima do nosso jogador (Bruno Nazário) e não foi marcado nada. Daí, no fim do jogo, ele marca aqui num lance que todos viram sem intenção. Agora já passou (o nervosismo), mas quem sofre é a gente", explicou o jogador, único a voltar para entrevistas. Ao término do jogo, todos passaram direto em direção aos vestiários.

Apesar da derrota, o clube vive a expectativa pela chegada do técnico argentino Ramon Díaz, inclusive Kevin. "Espero que ele faça um bom trabalho. Ele vai ver que aqui todo mundo trabalha duro, mas, infelizmente a bola não está entrando. A gente tanta, mas o jogo não encaixa", completou.

O goleiro Saulo, mais calmo, lamentou a derrota e explicou o lance no primeiro tempo em que chegou a sofrer um frango em uma cabeçada de Fessin, mas a jogada acabou anulada pelo tão criticado VAR. "Fiquei esperando uma falta em cima do Marcelo Benevenuto e quando fui para a bola ela escapou das minhas mãos e entrou. Foi uma infelicidade, mas ainda bem que o juiz anulou", afirmou.

O VAR foi acionado e mostrou que no início da jogada, no campo defensivo, Nino Paraíba, do Bahia, tinha cometido falta em cima de Davi Araújo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.