Ronald Wittek / EFE
Ronald Wittek / EFE

Khedira espera melhora da Alemanha na Copa, mas pede cautela contra a Suécia

Volante admite que críticas port futebol apresentado pela equipe na estreia são justas

Estadão Conteúdo

21 Junho 2018 | 10h38

O meio-campista Sami Khedira tem confiança de que a Alemanha vai apresentar melhora na segunda rodada do Grupo F da Copa do Mundo, quando a equipe vai enfrentar a Suécia, às 15 horas (de Brasília) deste sábado, em Sochi. O jogador, porém, não quer que a seleção seja afobada.

+ Zagueiro da Alemanha nega racha no elenco: 'Nos sentimos unidos em campo'

+ Müller diz que Alemanha mereceu críticas por derrota, mas pede voto de confiança

"Temos de jogar de forma mais inteligente. Precisamos atacar, mas sem nos descuidar da defesa", receitou o volante da Juventus em coletiva de imprensa concedida nesta quinta-feira, em Sochi. A Alemanha está pressionada no Mundial por causa da derrota na estreia, por 1 a 0 para o México, no último domingo, no Estádio Luzhniki, em Moscou.

Para Khedira, as críticas à atuação da equipe são justas. "Não há problema em receber más avaliações individuais. No meu caso, sei que não fiz um bom jogo contra o México e cabe a mim melhorar meu nível em campo para a próxima partida", afirmou o titular na estreia da Alemanha, substituído aos 14 minutos do segundo tempo.

Suplente do meio-campista durante o primeiro jogo, o meia-atacante Marco Reus é especulado para começar jogando contra a Suécia. A entrada do atleta do Borussia Dortmund no lugar de Mesut Özil foi pedida por Lothar Matthäus nesta quinta-feira, em artigo publicado no tabloide alemão Bild - o campeão do mundo pela Alemanha em 1990 também quer que Khedira e Timo Werner saiam para as entradas de Ilkay Gündogan e Mario Gómez.

 

Depois da Suécia, a seleção alemã ainda terá uma partida a fazer na primeira fase do Mundial. O time comandado por Joachim Löw vai enfrentar a Coreia do Sul, às 11 horas (de Brasília) da próxima quarta-feira, em Kazan.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.