Kia elogia Santos e pede paciência

Paciência, paciência. O executivo da MSI, Kia Joorabchian não gostou do que viu no domingo, o massacre santista nos 3 a 0 sobre o Corinthians, mas não foi tão otimista quanto em outras ocasiões. "Os jogadores do Santos se conhecem há um ano, nosso grupo só se viu em 14 de janeiro, há um mês exatamente. Temos cinco novos reforços, o que muda muito a equipe", justificou.E as fantásticas soluções, o supertime anunciado com estardalhaço no fim de 2004? Resposta cautelosa: "É preciso calma para se construir uma grande equipe, leva tempo". Elogiou Robinho, Deivid e toda a equipe adversária.Entre as possíveis contratações para o Corinthians, a bola da vez é Mascherano, do River Plate. "Apesar de ser um camisa 5, é habilidoso, tem capacidade para armar as jogadas e se encaixa bem na função de armador", disse. "Estamos fazendo contato e logo teremos novidades." A oferta pelo atleta seria de US$ 15 milhões. Outros nomes correm por fora: Roger, Gilberto, Gustavo Nery, Vagner Love, etc. "A prioridade, no entanto, é trazer um meia", declarou Kia, repetindo as palavras tantas vezes repetidas pelo técnico Tite.E por falar no treinador, Kia assegura a estabilidade de Tite no cargo, mas engrossa as reclamações da maior estrela da companhia corintiana, o atacante argentino Carlos Tevez, que jogou sobre as costas dos meio-campistas a responsabilidade por sua má atuação no clássico. "Ele está certo em dizer que a bola não chegava na frente. Se eu fosse o Tevez, também diria isso."

Agencia Estado,

14 de fevereiro de 2005 | 16h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.