Kia recusa oferta milionária por Tevez

Alheio à polêmica sobre a sua atuação como responsável pela parceira entre MSI e Corinthians e acusado de estar em situação irregular no País, o empresário Kia Joorabchian declarou durante longa entrevista à rádio Jovem Pan nesta sexta-feira que segue tranqüilo à frente dos negócios e credita à oposição dentro da própria diretoria corintiana as sucessivas polêmicas em torno de sua conduta no clube. O empresário garantiu que o argentino Tevez não sai do clube por preço algum e confirmou uma proposta de um clube europeu pelo atacante de US$ 40 milhões.A seguir os principais tópicos da entrevista:Parceria - ?Não fizemos nada de errado. Fizemos tudo certo como pede a legislação brasileira. Antes de efetuar a parceria eu achava que era só a oposição, mas têm algumas pessoas que se dizem corintianas que estão querendo atrapalhar o futuro do Corinthians. Eles estão usando o Corinthians como plataforma para aparecer. Passamos por uma eleição democrática e pensei que iriam nos apoiar a conduzir o Corinthians?.Investidores e investimentos - ?Não vejo o porquê revelar quem são os investidores, uma vez que a Hicks Muse (ex-parceiro corintiano) jamais revelou quem colocava dinheiro no clube, assim como outros fundos de investimentos não revelam suas aplicações. Estamos pagando todas as despesas e já gastamos mais de US$ 40 milhões em contratações, fizemos uma oferta pelo Mascherano (volante do River Plate) de US$ 15 milhões e ainda temos mais US$ 10 milhões para outros jogadores."Tevez, Vágner Love e Mascherano - "Um dos jornais brasileiros publicou muito corretamente que um clube europeu fez uma oferta de US$ 40 milhões pelo Tevez, é verdade. Mas ele não sai do clube por esse preço. Para o Corinthians, Tevez não tem preço. Para isso terão que pagar uma multa de US$ 100 milhões. Já na contratação do Vágner houve um erro na negociação. Foi uma combinação de erros das pessoas envolvidas, mas não foi um erro enorme. Temos uma boa relação com o pessoal do CSKA e um das pessoas de lá está sofrendo um problema pessoal e pediu para esperar para que a negociação seja feita. Agora, o Mascherano tem muitas objeções atrapalhando isso. Eles querem 11 milhões de euros (aproximadamente US$ 15 milhões), mas para tê-lo preciso ir à Argentina. Ainda não tive tempo porque tenho que apagar incêndios por aqui".Dinheiro - "Fizemos toda a transação (sobre a compra de Tevez) da maneira mais correta possível, nos certificamos de que tudo o que foi feito estava dentro dos trâmites legais dos bancos centrais envolvidos. É ridículo questionar essa transação. Quem quisesse lavar dinheiro não estaria tão exposto como estamos."Passaporte e visto - ?A legislação brasileira dá prazo de 180 dias para permanecer no País representando um empresa estrangeira, eu ainda tenho mais dois meses e vou apresentar meu passaporte na semana que vem. Quando à minha situação para trabalhar aqui, vou mesmo pedir um visto permanente já que represento uma companhia estrangeira. No futuro gostaria de representar uma companhia local?.

Agencia Estado,

11 de fevereiro de 2005 | 14h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.