Patrik Stollarz/AFP Photo
Patrik Stollarz/AFP Photo

Kimmich nega comparação e diz que 'não é o segundo Lahm' na Alemanha

Lateral do Bayern de Munique disse que ainda é muito inexperiente para poder atuar no nível do ex-jogador durante o Mundial da Rússia

Estadao Conteudo

15 Junho 2018 | 15h22

Lateral-direito titular da seleção alemã na Copa do Mundo da Rússia, Joshua Kimmich quer afastar as comparações entre Philipp Lahm e ele. O jogador do Bayern de Munique disse que ainda é muito inexperiente para poder atuar no nível do ex-jogador, que ocupou a posição durante a conquista do título mundial da Alemanha em 2014.

+ Copa do Mundo, a maior vitrine da tecnologia no futebol

+ Conheça todos os detalhes da taça da Copa do Mundo

+ Veja a tabela da Copa da Rússia 

"Lahm dominava a função e era um líder absoluto. Eu tenho 23 anos e está claro que não posso me comparar a ele, para chegar lá me falta muita experiência. Também não quero imitá-lo, eu sou Joshua Kimmich, não sou o segundo Lahm", afirmou o jogador em coletiva de imprensa concedida nesta sexta-feira em Moscou.

O estreante em Mundiais disse que tenta controlar a ansiedade antes da primeira partida dele no torneio. "A estreia está cada vez mais perto e, é claro, a emoção aumenta. Como equipe, queremos começar bem e ganhar o jogo. O grupo está focado e há muita tensão nos treinos", disse o defensor antes da partida entre Alemanha e México, que vai acontecer ao meio-dia (de Brasília) deste domingo, no estádio Luzhniki, em Moscou.

Kimmich também disse que espera fazer uma boa partida no primeiro jogo dele em Copas. "Pessoalmente, quero ter uma boa atuação em cada jogo. Para esse, não vou precisar de nenhuma motivação a mais porque estarei cumprindo um sonho de infância", revelou o defensor.

 

Depois do México, a Alemanha terá pela frente outras duas partidas pelo Grupo F, contra as seleções da Suécia, às 15 horas (de Brasília) do dia 23, em Sochi, e da Coreia do Sul, às 11 horas (de Brasília) do dia 27, em Kazan.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.