Kléber diz que só quer jogar com Ronaldo na seleção

O atacante Kléber já não sabe mais como chamar a atenção para que a diretoria do Palmeiras reúna o dinheiro pedido pelo Dínamo de Kiev e ele permaneça em definitivo no clube. Depois de conceder uma série de entrevistas em tom de "ultimato", admitindo até mesmo ir para o rival Corinthians, neste sábado o atacante disse à TV Globo que, se for para jogar com Ronaldo, que seja na seleção brasileira, e não no Parque São Jorge. "Jogar com Ronaldo seria legal, mas o que eu quero mesmo é ficar no Palmeiras."A novela Kléber se arrasta há quase seis meses. Quando o dólar ainda era cotado na casa de R$ 1,70, a diretoria já estudava uma maneira de reunir os US$ 8 milhões que o Dínamo pede para liberá-lo em definitivo. Mas, de lá pra cá, a moeda americana se valorizou com a crise financeira mundial (fechou na sexta-feira em R$ 2,38) e o que já era difícil ficou quase impossível."Reunimos um dinheiro com alguns investidores e ainda buscamos mais, mas é certo que não chegaremos nem perto do que o Dínamo quer. Vamos oferecer mesmo assim e ver no que dá", disse um membro da diretoria, que pediu para não ser identificado.Na melhor das hipóteses, o Palmeiras terá US$ 6 milhões, o equivalente a pouco mais de R$ 14 milhões, para oferecer ao Dínamo. São R$ 5 milhões a menos do que os ucranianos querem, mas o empresário de Kléber, Giuseppe Dioguardi, acha que será suficiente. Um advogado do clube está de sobreaviso, e pode ser mandado à Ucrânia a qualquer momento para fazer a oferta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.