Kléber é a esperança de Leão para o Santos

Venda de lateral para o São Paulo ou para a Europa gera expectativa de dinheiro em caixa para reforços

Sanches Filho, Especial para O Estado de S. Paulo

22 de janeiro de 2008 | 18h57

De uma forma pouco ortodoxa, o lateral-esquerdo Kléber está se transformando na solução para os problemas mais urgentes do Santos e, principalmente, do técnico Emerson Leão. Ainda há uma pequena possibilidade de o jogador ir para o São Paulo em troca de um ou dois jogadores e mais uma compensação financeira. Como também nos próximos dias ele poderá ver realizado seu sonho de voltar ao futebol europeu, o que permitiria aos santistas investir em reforços. E, se continuar na Vila Belmiro, ele vestirá a camisa 10, com a missão de alimentar o ataque. De todas as hipóteses, a mais provável é a sua permanência no clube. Nesta terça-feira, Leão chegou a demonstrar impaciência ao vê-lo deitado numa maca, no departamento médico, e cutucou. "Quero você em campo e não aí." Kléber respondeu que as dores pouco abaixo da cintura - uma espécie de hérnia, segundo o técnico - haviam diminuído, mas nem assim o jogador foi para o campo. Uma ressonância magnética mostrou que a lesão no músculo adutor da coxa direita está cicatrizada, mas, como o lateral está sem treinar há uma semana, o médico Carlos Braga disse que o atleta está fora do jogo contra o Juventus, na quinta-feira, em Santo André. Na noite de segunda-feira, Leão se encontrou com dirigentes do São Paulo e o técnico Muricy Ramalho num estúdio de televisão e a possível troca de Kléber por jogadores do Tricolor voltou a ser assunto. "Brincaram comigo, dizendo que é covardia querer quatro jogadores por um (Kléber em troca de Souza, Júnior, Hugo e mais um, cujo nome não foi revelado) e foi possível esclarecer que essa proposta não partiu do Santos. Achávamos que era o São Paulo que queria o Kléber e oferecia alguns jogadores. Agora, o melhor é não falar mais nada e esperar que os dois presidentes se entendam. Os dois estão sempre conversando", disse o treinador santista. Como Kléber poderá sair ou passar a jogar na meia-esquerda, Leão pede a contratação de um lateral-esquerdo e um direito - perdeu Baiano e Alessandro, e Denis não volta tão cedo -, além de dois meias. "Um canhoto criativo e um para a direita, driblador e atrevido", descreve o técnico. Carleto pode ser a solução para a esquerda, mas como os demais jogadores que disputaram a Copa São Paulo, está em férias e só volta no dia 11 de fevereiro. As informações que Leão recebeu do técnico Márcio Fernandes, que dirigiu o time da competição, não tiveram nada de especial, de acordo com o treinador. Mesmo assim, ele conta com alguns garotos para o que chama de trabalho de reconstrução do futebol santista. "Acredito que vamos trabalhar bastante com a garotada, mas ainda esperamos alguém com antiguidade", afirmou. Ele avisou que se for preciso, pode pedir para alguns deles interrompa as férias. Também aproveitou para mandar um recado para os empresários. "Não vou permitir que terceiros se aproveitem da situação para explorar o Santos."

Tudo o que sabemos sobre:
Santos FCKléber

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.