Kléber perde mais um pênalti, Palmeiras vence e avança

Com o Pacaembu lotado e a torcida apoiando o tempo todo, o Palmeiras venceu o Santo André por 1 a 0 na tarde desta quinta-feira e se classificou às quartas de final da Copa do Brasil. Nesta fase enfrentará o vencedor de Coritiba e Caxias - no jogo de ida, 4 a 0 para os paranaenses, em casa.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

21 de abril de 2011 | 17h54

Como havia vencido o jogo do ABC por 2 a 1, o Palmeiras tinha a tranquilidade de poder perder por 1 a 0 no Pacaembu e fez valer o seu direito perante um adversário que lutou bastante, mas assustou pouco. Violenta, a partida teve oito cartões amarelos e um vermelho.

Depois de perder dois pênaltis no jogo de ida - e marcar na sequência do lance nas duas oportunidades -, Kléber teve a chance de mostrar por que é o batedor oficial do time. Bateu forte, carimbou o travessão e fechou o confronto com três pênaltis perdidos.

Conforme já sinalizava, Felipão optou por escalar o Palmeiras sem Wellington Paulista, que ficou apenas como opção no banco. Com isso, o treinador manteve a formação tática dos últimos jogos, com Tinga e Valdívia na armação das jogadas. Já o Santo André, rebaixado no Paulistão, tinha quatro mudanças para aquele que era a partida do ano para o time do ABC.

Mesmo precisando da vitória, os visitantes começaram o jogo recuados, aceitando as investidas do Palmeiras, que, por sua vez, tinha dificuldades de entrar na área e finalizar a gol em boas condições. Depois dos 15 minutos, porém, o Santo André passou a achar espaços e equilibrou a partida no Pacaembu.

Por conta da tensão das duas equipes, o jogo era violento. Só no primeiro tempo foram seis cartões amarelos, e poderia ter sido mais. Aos 23 minutos, Cicinho cruzou da direita e Luan foi derrubado por Alex na área. Pênalti claro que o árbitro Raphael Claus não marcou.

Luan, porém, não pôde reclamar, porque, pouco depois, agarrou um adversário na área defensiva. Mais um pênalti não marcado, desta vez prejudicando o Santo André. No segundo tempo, quando já tinha um cartão amarelo, simulou um pênalti depois de driblar Neneca e teve sorte de não receber o segundo cartão e a consequente expulsão.

Lesionado, Thiago Heleno deixou o campo no intervalo para a entrada de Leandro Amaro. Se perdia seu titular, o Palmeiras pelo menos ganhava em estatura contra um time que gosta de jogar na bola aérea. Logo na primeira chance pelo alto, porém, o Santo André quase marcou. Aos 2 minutos, Célio Codó cabeceou bem e Deola fez ótima defesa.

A mudança de postura do Santo André, que passou a jogar com três atacantes depois da entrada de Borebi, deixou a partida mais aberta e isso acabou sendo bom para o Palmeiras, que viu a marcação sobre Valdivia, Kleber e Tinga ser afrouxada. Aos 22, o time perdeu Cicinho, machucado. João Vitor entrou no seu lugar.

E foi na principal arma do Santo André que o Palmeiras abriu o placar. Marcos Assunção bateu escanteio da esquerda, Danilo desviou no primeiro pau e marcou o primeiro gol do jogo, aos 32 minutos.

Aos 37 minutos, Anderson foi expulso após entrada dura em Valdivia na lateral. No minuto seguinte, Richely derrubou Kléber na área. O atacante foi para a batida, chutou com força e carimbou o travessão. Nos acréscimos, Valdivia acertou a trave de Neneca. No rebote, Wellington Paulista perdeu a chance de marcar seu primeiro gol pelo Palmeiras.

FICHA TÉCNICA:

Palmeiras 1 x 0 Santo André

Palmeiras - Deola; Cicinho (João Vitor), Thiago Heleno (Leandro Amaro), Danilo e Rivaldo; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Tinga (Wellington Paulista) e Valdivia; Luan e Kléber. Técnico - Luiz Felipe Scolari.

Santo André - Neneca; Anderson, João Paulo e Sandoval; Alex, Magno, Mario Jara (Chiquinho), Aloísio e Gilberto (Borebi); Rychely e Célio Codó (Luciano Fonseca). Técnico - Sandro Gaúcho.

Gol - Danilo, aos 32 minutos do segundo tempo.

Árbitro - Raphael Claus.

Cartões amarelos - Thiago Heleno, Valdivia, Luan, Magno, João Paulo, Neneca, Alex e Mario Jara.

Cartão vermelho - Anderson.

Renda - R$ 985.018,00.

Público - 34.716 presentes.

Local - Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.